www.stone-ideas.com

Miscelânea

xMiscellen(Novembro 2008) „Sucesso além de todas as espectativas“ chama um informe de imprensa da feira em Verona a Marmomacc deste ano. Trata-se de 63.000 visitantes, o que de longe não representa um sucesso absoluto, uma vez que no ano anterior, o número de visitantes atingiu o número de 65.000. Houve porém um considerável aumento no número de expositores: 1536, se compararmos ao ano anterior: 1510. O espaço físico da exposição também sofreu um leve aumento, passando assim a ter 77.000 m².

Com uma menção de honra dentro do Red-Dot-Award deste ano foi premiado um esqui suiço, o qual no seu interior é constituído de uma fina camada de granito de apenas alguns milímetros. O segredo do material está no uso de revestimento de fibra de carbono, a que segundo alguns especialistas dá ao esqui uma nova característica. O criador da fase de carbono são os irmãos Kuse, engenheiro e pedreiro da Alemanha com a firma TechnoCarbon. O design e a produção do esqui foi feito de uma marca nobre suiça: zai. O granito usado é um granito banal do vale de Calanca em Graubünden.

É a estrutura de seixos do deserto, um em cima do outro, que caracteriza os prédios do gigantesco „King Abdulaziz Center for Knowledge and Culture“ na Arabia Saudita. Parte do complexo a ser realizado até 2012 e no lugar do primeiro campo petrolífero, será um museu, uma biblioteca, um teatro, cinemas e outras instituções cuilturais, segundo uma webpage. A Saudi Aramco, maior firma de petróleo do mundo, é o proprietário. Os arquitetos são os noruegeses Snøhetta. Vídeo.

Os cidadãos americanos consideram o granito como o material ideal para as bancadas de cozinhas . Diz o resultado de um inquérito realizado entre alguns 2000 adultos realizado pelo Marble Institute of America (MIA) em outubro de 2008. Causa do inquérito foi por um lado a comercialização mais frequente de pedras artesanais neste setor tão importante do mercado, e por outro as campanhas publicitárias as quais querem destacar o granito como fonte perigosa do gás Radon. Segundo o estudo 55 % dos entrevistados imaginam a pedra artesanal na „cozinha de seus sonhos“. Materiais sintéticos foram mencionados por somente 9 % dos entrevistados. Um fator importante para tal resultado é o fato de que as pedras artesanais contam como investimento seguro. 90 % dos entrevistados disseram que tal investimento valorizaria o preço de revenda do imobiliário em questão significantemente. Com relação ao pretenso perigo de saúde provocado pela emissão de gás Radon, 84 % dos entrevistados disseram ou deram para entender que as pedras artesanais contam como os materiais mais seguros, bonitos e duradouros para bancadas de cozinha. O resultado deste inquérito foi duvulgado e propagado entre diversos setores, diz a MIA num informe de imprensa.

Tudo o que se deve saber sobre bancadas de cozinha feitas de pedras artesanais, da instalação à limpeza destas foi divulgado num documento da Marble Insitute of America (MIA). A publicação com o título „A Homeowner’s Guide to Natural Stone Countertop Installation“ e um volume com 28 páginas pode ser baixado.

Uma análise profunda na história do nosso planeta foi realizada há pouco tempo por paleontólogos alemãos. Em Obernkirchen, nos arredores de Hannover, foram encontradas treitas de dinossauros com 140 milhões de anos de idade conservadas no arenito. Sensacionais são as impressões de raptors aqueles predadores com garras em forma de foice que tanto nos assustaram no filme „Jurassic Parc“. Até agora acreditava-se que estes só haviam povoado a Ásia. Atualmente há discussões sobre um achado em Bernburg no Estado alemão de Sachsen-Anhalt. Um cienstista alega ter encontrado aí treitas em pedra calcário com 243 milhões de anos . Até agora designou-se o surgimento dos dinossauros em 15 milhões depois da data mencionada (webpage). Um achado também sensacional foi realizado por cientistas chineses na Mongólia, os quais encontraram um fóssel de um dinossauro com somente 160 gr de peso, que possuia o corpo coberto por penas. A criatura do tamanho de uma pomba não era capaz de voar e usava sua penugem chamativa somente para o cio. Trata-se talvez de o representante da evolução dos lagartos para as aves, como destaca a revista científica Nature (455: 1105-1108).