www.stone-ideas.com

Feiras: o setor na Polônia torna-se profissional

Foi premiado o Museu Nacional da cidade de Przemyl. Ele possui uma fachada ventilada de Travertino Romano Clássico.(Dezembro 2009) Ser vista é o que desejava a nova Feira Kamien-Stone na cidade industrial polonesa de Poznan. Ela aconteceu esse ano pela primeira vez e reunida com o tradional show do setor na cidade de Wroclaw – esse último era tradicionalmente bastante improvisado.

É verdade que a pressão da visitação em Poznan não foi exatamente enervante: nos quatro dias do início de novembro apareceram mais de oito mil visitantes para os quase 300 expositores de 20 países em uma área superior a 15.000m², conforme informou a organização. No primeiro dia chegou a reinar um vazio soporífero. Contudo, a prova da nova área de exibição próxima à estação central de trens foi vencida: a estrutura é moderna e profissional.

Os expositores eram sobretudo fornecedores de máquinas e ferramentas para o beneficiamento de marmorarias da Itália, Alemanha e China. Também empresas da Espanha, França, Escadinávia, Índia e África do Sul estavam representados. É interessante que, entre as pedras exibidas, também havia espécies exclusivas e caras – o setor estima a Polônia, ao que tudo indica, como um promissor consumidor de pedras para decoração de interiores.

É possível que alguns exportadores vejam o país também como portal para a Europa do Leste, ou como depósito de curta distância para Alemanha ou Escandinávia. Fornecedores da Índia já adquiriram depósitos para suas pedras sepulcrais – cemitérios são na Polônia um mercado bastante incomum. Veja nossa análise em edição de junho 2008.

Chamou atenção também uma programação de eventos paralelos realmente surpreendente para o tamanho da feira. As duas revistas especializadas no setor cuidaram da organização dessas palestras. Ao largo disso, marcam seu próprio sotaque:

Nowy Kamieniarz mostrou em uma exposição como se desenvolveram nos últimos 40 anos na França e na Itália os anúncios de produtos lapidados.

Swiat Kamienia apresentou o ganhador dos prêmios para a arquitetura em pedras na Polônia. Aqui queremos mostrar um projeto que torna mais compreensível o difícil passado da vizinhança entre poloneses e alemães: Wroclaw na Silésia se chamava Breslau e era alemã, passando após a Segunda Guerra para a Polônia. Vale lembrar que essa guerra, com seus cerca de 60 milhões de mortos, começou com a invasão alemã na Polônia. Após o fim da guerra o velho cemitério foi destruído e as pedras sepulcrais utilizadas em outros locais. O memorial premiado, com o nome „Monumento à Memória Comum“ está no local do antigo cemitério e é composto por um muro de granito de 60m de largura por 4m de altura, no qual estão integradas algumas das antigas pedras sepulcrais. Ele foi concebido por Tomasz Tomaszewski, Louis Gryta e Czeslaw Wesolowski. A pedra foi fornecida pela empresa Piramida, das proximidades da cidade de Strzegom.

A próxima Kamien-Stone acontece de 10 a 13 de novembro de 2010. Seu nome na verdade é um pleonasmo: „Kamien“ é a palavra polonesa para pedra. Assim se chamava sua antecessora na cidade de Wroclaw.

Fotos: Swiat Kamienia