www.stone-ideas.com

Feiras: „Marble“-Esmirna permanece por enquanto no centro da cidade

(Maio 2010) A harmonia é um traço importante no dia a dia da cultura turca. No caso da Feira „Marble”, de Esmirna, isso significa também uma orquestra (desta vez de sopro) tocando na inauguração, apresentadores que derramam gentilezas e todos ao final cantando o hino nacional.

Este ano, contudo, houve também exortações enérgicas dirigidas aos políticos: elas contestavam o plano de um novo local para a feira, nos arredores do aeroporto local. Com o dobro do espaço atual, a exposição passaria dos atuais 43 mil m² no Parque Cultural, no centro da cidade, para cerca de 80 mil m². Há anos fala-se nesta mudança, mas só recentemente foi criado um planejamento para a aquisição dos novos terrenos.

Contudo, nada deve mudar tão rapidamente. „Mesmo que a partir de agora tudo andasse facilmente, o novo terreno estaria pronto apenas em 2012, no máximo”, antecipou em sua fala Selahattin Onur, diretor da Tümmer, federação nacional do setor.

Quanto às exportações, enquanto a Turquia de 2007 para 2008 registrou crescimentos (em valores +13,01%, em volume +8,19%), também amargou no ano passado com a crise internacional: -12,8% em valores e -3,32% em volume (veja tabela). Em comparação com outros países, no entanto, foi um recuo moderado.

Uma análise mais detida mostra no entanto um problema: nos materiais processados, houve um forte recuo (-22% em valores e -16,4% em volume). Nas matérias primas, em contraste, aumentaram as exportações: em blocos foram +3,6% (valores) e +4,1% (volume), em placas +10,1% (valores) e +2% (volume). Comportamentos semelhantes verificaram-se em outros países: na crise cresceram os fornecedores de matérias primas para as indústrias de transformação localizadas na Ásia.

Isso é refletido também pela tabela de exportações por países (veja abaixo): para a China houve até um plus de +5,74% em valores e em volume inclusive +30,5%. Para os EUA, outrora o maior cliente, sucedeu-se o contrário, com um recuo -36,3% (valores) e -37,5% (volume). Crescimentos foram verificados quase exclusivamente em países muçulmanos como Líbia, Iraque, Egito e alguns estados da antiga União Soviética.

O fato de que a Ásia se tornou em termos de volume o maior comprador de pedras turcas é demonstrado também pelas estatísticas da feira deste ano. Os organizadores da IZFAS apontam que os maiores números de visitantes provinham de China e Índia. No total, a 16a edição da feira, acontecida entre 24 e 27 de março, cresceu tanto em visitação quanto em número de expositores (veja abaixo).

De acordo com o diretor da federação do setor, Selahattin Onur, a indústria de pedras naturais na Turquia trava uma batalha doméstica com legislação excessiva em vários níveis. Em matéria de preservação do meio ambiente, ele manifestou em entrevista desejar „regras que sejam claras e não levem a burocracias desnecessárias“. Também pediu facilitações financeiras em relação aos custos associados aos salários.

Em particular, os custos de energia são um fardo, „em comparação com os padrões mundiais, os maiores custos estão na Turquia“, reclamou. A razão disso está na criação de um fundo compensador para as vítimas de um terremoto no país, financiado com a introdução do chamado imposto sobre luxos, que sobretaxa o alto consumo de energia. Esse imposto inicialmente devia ser temporário, porém tornou-se permanente.

Fonte das tabelas: IMMIB

Tabelas do ano anterior