www.stone-ideas.com

Arte: um anjo com celular e códigos QR para lápides mortuárias

(Junho 2012) Para a restauração da catedral da cidade holandesa de ’s-Hertogenbosch o artista Ton Mooy criou, entre várias outras figuras, também um anjo feminino. Ela está vestida com roupas modernas e tem na mão um telefone celular, noticiou o New York Times. O modelo para essa criação incomum foram figuras históricas da fachada e teto desse templo religioso, todas elas bastante vívidas – que podem ser vistas em vídeo.

Sobre o celular da anja: já existe até um número telefônico em funcionamento para receber ligações a seu respeito. Engraçadinhos normalmente perguntam pelos números da loteria local e até um perfil no Twitter a anja já tem.

Ton Mooy

New York Times

Vídeo

O artista e lapidador alemão Andreas Rosenkranz trouxe os modernos Quick-Response-Codes (Códigos QR) para o cemitério. Tão nova a ideia também não é: no Japão o quadradinho preto & branco já existe há duas décadas em cemitérios. Funciona assim: você fotografa esse quadrado com seu celular e um programinha específico liga aquela espécie de código de barras a uma página na internet. De lá então você pode ler informações específicas sobre a pessoa que ali jaz e inclusive entrar em contato com outras pessoas relacionadas com o falecido.

A novidade do lapidador da cidade alemã de Colônia é o fato de que o código está esculpido na lápide, quando usualmente isso era apenas um decalque colado.

E mais: Rosenkranz estendeu os padrões dos pequenos quadrados em preto & branco que formam o código QR, de forma a obter o sinal da cruz cristã.

Códigos QR-Codes em cemitérios japoneses (1, Video).

Andreas Rosenkranz (1, 2 em alemão)

„Memory Medaillon“ é como se chamam microchips integrados a lapides mortuárias. Também aqui se obtem, através de um smartphone, conexão com a internet para informações sobre o falecido. „Trazendo vida ao cemitério“, é o slogan de um vídeo comercial da empresa americana que oferece esse serviço.

Video

A designer Patricia Urquiola apresentou no ano passado um código QR na forma de marchetaria em rocha. Essa instalação podia ser vista no estande da empresa italiana Budri na Feira de Verona.

Em Varsóvia há bancos de granito onde esses códigos estão esculpidos. Os bancos são parte do caminho turístico onde se vêem prédios e marcos urbanos relacionados à vida do grande compositor Frédéric Chopin na capital polonesa. Durante o jubileu de Chopin, era possível obter informações não só sobre o significado do local, mas também sobre eventos relacionados àquelas comemorações.