www.stone-ideas.com

Marcel Dijker faz arte com objetos marinhos compostos em rocha, madeira, conchas e ferro

Marcel Dijker: Arte de objetos marinhos.

O holandês é um surfista inveterado que encontra nas praias de casa e em viagens o material para seus objetos de arte

Quando Marcel Dijker vai surfar na praia, sempre leva uma mochila junto. Com ela traz de volta achados na praia para seu estúdio e disto faz pequenas obras de arte. Às vezes são peixes, que, observados com um pouco de imaginação, se parecem com animais autênticos. Às vezes são estranhas criaturas, tal como se vê nas profundidades oceânicas.

Marcel Dijker: Arte de objetos marinhos.

Dijker, cuja profissão é engenheiro, cresceu na ilha holandesa de Texel. Já quando criança e ele experimentou uma espécie de fascinação com o material que o mar jogava na praia.

Disto ele começou em algum momento a fazer pequenos objetos de arte, atividade que com o passar dos anos foi se tornando cada vez mais importante, nos explica ele por e-mail. Em termos artísticos, ele é autodidata.

Marcel Dijker: Arte de objetos marinhos.

O material das obras de arte são, quando se observa mais de perto, realmente fascinantes: não se sabe nada de sua proveniência, e menos ainda o caminho que tomaram no oceano. O que no entanto se nota neles é a força do sol e o poder do vento e das ondas, que subitamente e sem misericórdia faz de galhos antigamente ricos em ramificações ou de pranchas exatamente denteadas restos desbotados e duramente dilacerados.

São estas formas que inspiram Dijker. Quando uma peça chama sua atenção na beira do mar, ele a leva para casa, limpa, seca e se pergunta pela inspiração que aquilo lhe traz. „É nestes momentos que nasce uma nova obra“, nos escreve ele.

Depois ele completa a ideia com outras peças encontradas em seu estoque.

Marcel Dijker: Arte de objetos marinhos.

Ao lado de madeira ele usa também rochas encontradas no mar, seja para o corpo de suas criações, ou como pontos de apoio para elas. Rochas marinhas são também um material que, talvez provenientes do topo de uma cadeia montanhosa submarina, podem ter uma longa e desconhecida trajetória.

Um certo tipo de concha é ideal para compor olhos de peixe. O aço também é empregado.

Com lixo industrial ele não trabalha. „As cores destes simplesmente não são naturais“, explica ele.

O fato de as praias turísticas serem limpas no verão não o incomoda. No resto dos meses o mar é um fornecedor de insumos confiável e regular. E como surfista inveterado, a busca pelas ondas leva-o sempre de novo a praias das quais ninguém se ocupa, e que assim lhe aportam tesouros desconhecidos dos oceanos.

Marcel Dijker

Fotos: Marcel Dijker

(24.08.2016)