www.stone-ideas.com

„Stone Sector 2016“: O mármore está na moda, com boas chances para o aproveitamento de resíduos no design de produtos

O anuário estatístico da IMM Carrara analisa tendências atuais do setor e constata que 2015 foi um „ano dourado“

„2015 (foi) outra vez um ano dourado“ para o setor de rochas mundial, informa o „Stone Sector 2016“, o anuário estatístico da Internazionale Marmi e Macchine Carrara (IMM). Afinal: 25,7 bilhões € (28,398 bilhões de US$) foram alcançados em receitas, o que representou um aumento de 12,4% em relação ao ano anterior.

Anualmente a Dra. Manuela Gussoni avalia as estatísticas internacionais. Uma particularidade de sua análise é que prioriza os bens em rochas naturais.

Isso traz interessantes descobertas, por exemplo: como em 2014 em relação a 2015 houve um decréscimo em volume de 10%, o preço médio subiu neste período em 24,4%.

Em outras palavras: aparentemente as empresas de rocha conseguem vender seus produtos de maior valor aos clientes.

Em face do fato de que as rochas naturais são reconhecidamente um produto muito especial, Manuela Gussoni por isso fala de „uma situação particularmente favorável para a rocha natural, especialmente o mármore, que é um material em moda“.

Ela indica que tanto na arquitetura (pisos e paredes) como também na arquitetura de interiores (tampos de mesa e bancadas de cozinha, etc.) há uma grande demanda por produtos em rocha. Especialmente o design de produtos com rochas naturais representa, na sua opinião, um setor em crescimento: em particular „mobiliário e de formas originais“ chamarão a atenção de muitos clientes.

Seu tipo de estatística por valores desequilibra a costumeira ordenação da produção por volume, ainda que apenas um pouco. Aqui a China aparece e com grande distância na posição número 1: isso poderia aumentar sua presença em relação ao ano anterior de 7% para 42,4% e registrou simultaneamente em valores de exportação um aumento de impressionantes 38%.

Em segundo lugar na tabela aparece a Itália, seguida pela Turquia e, com alguma distância, Índia e Brasil.

É interessante constatar aqui que até a China, todos os países da tabela, registraram perdas em relação a 2014!

Quer dizer: para muitas empresas não houve de fato um „ano dourado“.

Outras análises impressionantes o „Stone Sector 16“ oferece também na análise macroeconômica da economia mundial e da mesma forma, por exemplo, na análise do setor da construção civil em diferentes países.

No que tange aos EUA enquanto principal mercado de destino, Manuela Gussoni aponta um consumo bastante diferente de rochas naturais, de acordo com o Estado em questão. „Em algumas regiões há espaço para o crescimento“, escreve ela em sua conclusão.

Ali também ela aponta uma chance para o design e a sustentabilidade: „O uso de mármore como material valioso, com o qual se deve lidar com cuidado, exige a transição do setor de rochas no sentido de uma economia cíclica, na qual mesmo com resíduos e sobras devem ser aproveitados na produção de objetos de valor.“

„Stone Sector 2016“ (102 páginas) é oferecido em inglês e italiano. Ele pode ser baixado gratuitamente em pdf no site da IMM Carrara, depois de um registro.

Aliás: a IMM Carrara oferece também prestação de serviços e propicia desde seu arquivo, por exemplo, análise de mercados para clientes. O contato é a própria Dra. Manuela Gussoni (Mail). No laboratório da organização, contratantes podem encomendar análise de rochas naturais, por exemplo, para obtenção da certificação CE. O contato é Marco Mazzoni (Mail).

Download „Stone Sector 2016“

(26.08.2016)