www.stone-ideas.com

Armadillo Vault na Bienal de Arquitetura de Veneza: quebra-cabeças flutuante com 399 elementos que somam 24 toneladas

Armadillo Vault: De volta ao futuro: com uma abóbada, que se autosustenta com um princípio ancestral.

A abóboda, em formato ancestral, sustenta a si mesma em razão do peso / Cálculos e fabricação pelos métodos mais atuais

O tatu é uma criatura de eras primitivas que atravessou o tempo até aqui. A peça que o homenageia, Armadillo Vault (Abóboda do Tatu), que pode ser vista até 27 de novembro de 2017 na bienal de arquitetura de Veneza, também volta ao passado: ela recupera um antigo princípio construtivo onde o peso da estrutura permite a estabilidade de construções como pontes e abóbadas.

O slogan poderia ser: De Volta para o Futuro. Afinal, no Armadillo Vault unem-se cálculos e projetos computadorizados e isso permite estruturas com as quais os antigos mestres sequer poderiam sonhar.

A abóboda na histórica Corderie dell’Arsenale em Veneza estende-se sobre quase 16 m e recobre uma superfície de 75 m², sendo composta por 399 elementos individuais reunidos. Ela é mantida estável sem qualquer subestrutura e, mais, seu corte a mantém a uma distância elegante de 2 das colunas do salão.

Vale sublinhar: a construção não é tensionada, por exemplo com fios metálicos, que eventualmente percorrem o interior das rochas. É apenas o próprio peso, de 24 toneladas, que mantém aglutinado o quebra-cabeças de rochas.

A construção foi desenvolvida pelo Block Research Group com Philippe Block, professor do ETH de Zurique. O cálculo e a animação por computador foram realizadas pelo grupo Ochsendorf DeJong & Block (ODB Engineering) com Matthew DeJong (professor da University of Cambridge), John Ochsendorf (professor no Massachusetts Institute of Technology), e de novo Philippe Block e Anjali Mehrotra.

A peças do quebra-cabeças foram realizadas em calcário pelo Escobedo Group no Texas, EUA. Ali também, na cidade de Buda, o Armadillo Vault foi reunido em um teste pela primeira vez. Depois as peças individuais foram para Veneza e lá foram remontadas pelo mesmo time dentro de 3 semanas.

Ao final da Biennale, a abóboda será erguida em outro local – também esta mobilidade ilimitada da construção e a reutilização de cada peça são peculiaridades que tornam este tipo ancestral de edificação tão atraente hoje em dia.

Além disso, a liberação de CO2, gerador do efeito estufa, é diminuída em 90%: normalmente tais formas são hoje construídas com concreto armado.

A reunião de cada peça se dá totalmente sem argamassa. Para a instalação, elas inicialmente repousam sobre uma armação comum, que é retirada quanto as pedras angulares são colocadas nos pontos mais altos.

A cúpula, com um corte elegante, ainda mantém distância de duas colunas do salão.

A forma de cada peça no quebra-cabeças e sua ordenação se orientam pelo sentido das linhas mais pronunciadas dentro da construção. Apenas com esta preparação prévia em computador o Armadillo Vault foi possível.

Aqui chamamos atenção: o que os mestres construtores de séculos passados não dariam para poder calcular a estática exata que concebiam em suas mentes!

Também em termos de material uma tal construção impõe desafios especiais. Cálculos com o software RhinoVault, desenvolvido pelo Block Research Group, apontam que as rochas não devem ser mais finas do que 5 cm, senão há o risco de que sob forte pressão o quebra-cabeças se rompa.

A espessura máxima de 13 cm é restrita aos elementos com os quais a construção toca o chão.

Isso é possível através de um largo pedestal de aço, que sustenta o peso sobre uma grande superfície. Afinal, o piso deste salão histórico não deve ser de modo algum perfurado. Por isso ancoragens de tensão em aço percorrem os pés da construção.

Por fim: para produzir 399 peças de quebra-cabeça de diferentes formatos é necessário um projeto trabalhoso. Por exemplo, os especialistas da Escobedo não serraram a superfície das rochas em formatos arredondados porque isso demandaria que uma beneficiamento individual de cada um deles. Era melhor aceitar que a superfície do „Tatu“ fosse escamosa – o que por fim deu nome à construção.

A parte debaixo, por outro lado, foi serrada em forma arredondada, e na verdade em listras individuais, como mostra um vídeo. Manualmente, os cantareiros tiraram as listras, o que confere às partes inferiores seu visual rústico.

Assim, „Armadillo Vault“ é também um exemplo de como cabeças criativas e artesãos experimentados podem encarar limitações de modo positivo.

Mais uma particularidade: as pedras-angulares foram trabalhadas por último, apenas depois que a construção já estava quase completa e testada. Assim puderam ser adequadas as tolerâncias entre o cálculo de computador e o quebra-cabeças concreto. Afinal, como já se disse: a argamassa não está presente nem como colante, nem como compensador.

Testando pessoalmente a Armadillo Vault: (da esq. para dir.) Matt Escobedo (General Manager da Escobedo, e o filho de David), David Escobedo (proprietário do  Escobedo Group) e Alejandro Aravena (curador da Biennale). Philippe Block aparece na foto, presumivelmente atrás da câmera.

Ao que tudo indica, a construção é tão estável que sustentaria até um time completo de jogadores de futebol americano.

Armadillo Vault é descrita em detalhes na revista „Detail“ (Outubro 2016) em inglês e alemão. (MOdS)

Video

Block Research Group

ODB Engineering

Escobedo Group

Detail“ (Outubro 2016)

Fotos: Escobedo Group

See also:

 

 

 

 

(27.10.2016)