www.stone-ideas.com

Em termos estatísticos, a lucratividade das empresas de rochas naturais claramente cresceu

Dr. Carlo Montani. Foto: Ennevi / Marmomacc

O anuário „Report marble and stones in the world“ do Dr. Carlo Montani para 2015 começou com grandes novidades na exportação

Primeiro as más notícias: o ano de 2016 começou ruim para o setor de rochas, pois todos os grandes atores sofreram fortes retrações de exportações nos primeiros 6 meses. A Itália forneceu, segundo cifras da IMM Carrara, -3,27% em valor e menos produtos (-8,5% em volume) foram embarcados para o exterior; as tendências negativas vieram também de países como Turquia e Brasil.

O motivo para isto, se supõe, seja o fato de a China experimentar uma desaceleração econômica e assim comprar menos rochas.

A seguir, as notícias boas ou nem tão ruins. Elas vêm do ano de 2015, e as retiramos do anuário estatístico „XXVII Rapporto marmo e pietre nel mundo 2016 / XXVII Report marble and stones in the world 2016“ do Dr. Carlo Montani, novamente editado em italiano e inglês, e apresentado na Marmomacc.

O lado positivo: a lucratividade das empresas de rochas cresceu significativamente em 2015 (comparado com 2014): no comércio internacional foi alcançado com um volume menor (- 6,9%) um claro aumento de receitas (+7,5%) por unidade.

Montani interpreta isto como sinal de uma crescente profissionalização do setor.

O valor total da corrente de comércio internacional foi de quase 23 bilhões de dólares.

As notícias seguintes do anuário não são realmente para se comemorar. Internacionalmente, de fato houve nos 286,2 milhões de toneladas um crescimento na obtenção de matéria-prima (+2,5%). Contudo, disto foram aproveitados em blocos brutos apenas 140 milhões de t. Após o beneficiamento, restaram na forma de produtos finais apenas 82,6 t.

É uma sorte que a concorrência não esteja explorando estes números.

Pena que o setor de rocha faça tão pouco para produzir de sua matéria-prima algo diferente de apenas grandes placas para fachadas e cozinhas.

Por isso, Montani está engajado em fazer o setor se livrar de velhos hábitos e usar a criatividade e a técnica para que não reste tanto resíduo.

Um ponto de interesse da estatística de Montani é, há anos, o crescimento do consumo de rochas per capita.

Um ponto de interesse da estatística de Montani é, há anos, o crescimento do consumo de rochas per capita.

Outro é o setor de tecnologia. A Itália é claramente líder de mercado com uma participação de mais de dois terços na Europa e um quarto em nível internacional. O país exporta produtos tecnológicos em valor de 780 milhões de euros. A média por unidade está em 1112 euros.

Neste livro encontra-se grande número de detalhes para cada país, por exemplo, na área de construção residencial. Ele pode ser encomendado como impresso junto à editora ao custo de 35 €. Via download em pdf, o custo é de 20 €.

XXVI Rapporto marmo e pietre nel mundo 2015 / XXVI Report marble and stones in the world 2015“, Dr. Carlo Montani, Aldus Casa di Edizione, Carrara

IMM Carrara (italiano)

Tabelas extraídas do livro.

(12.11.2016)