www.stone-ideas.com

Rochas naturais não como atração por si, mas como parte da impressão geral de um projeto construtivo

O 1o. prêmio foi para a equipe de trabalho Hascher Jehle Architektur / Mitiska Wägerarchitekten pelo Montforthaus na cidade de Feldkirch.

Neste ano foram novamente concedidos os „Prêmios Pilgram para Arquitetura com Rochas Naturais“ na Áustria

Neste ano foram novamente concedidos os „Prêmios Pilgram para Arquitetura com Rochas Naturais“. Seu nome reverencia o mestre da construção da catedral de Santo Estevão, em Viena. A premiação foi concedida pela terceira vez. Chamou a atenção que não tenham sido premiados projetos de luxo, mas sim aqueles nos quais as rochas foram parte de uma impressão geral do projeto. Foram 33 inscritos. Apresentamos as obras dos vencedores e uma parte dos 22 indicados para a lista final.

O 1o. prêmio foi para a equipe de trabalho Hascher Jehle Architektur / Mitiska Wägerarchitekten pelo Montforthaus na cidade de Feldkirch.

O 1o. prêmio foi para a equipe de trabalho Hascher Jehle Architektur / Mitiska Wägerarchitekten pelo Montforthaus na cidade de Feldkirch. Este centro cultural e de congressos tem uma fachada torta, que circunda o prédio. Para realizar esta dobradura, foram aplicados lado a lado e perpendicularmente finas placas de rochas naturais (30 cm de largura, até 2 m de comprimento e 5 cm de espessura). A superfície é surpreendentemente lisa, pois as placas em sua extensão são serradas de modo a se sobreporem. O júri também elogiou que o prédio harmonizou seus materiais com os do seu entorno. O calcário foi fornecido pela empresa Lauster Naturstein.

O 2o. prêmio foi para a comunidade de Stans, que jamais teve um ponto central, pois isto faltava à praça deste vilarejo. Isso foi resolvido afinal pelos arquitetos da Gsottbauer architektur.werkstatt, que empregaram um revestimento de rocha natural bastante tradicional.

O 2o. prêmio foi para a comunidade de Stans, que jamais teve um ponto central, pois isto faltava à praça deste vilarejo. Isso foi resolvido afinal pelos arquitetos da Gsottbauer architektur.werkstatt, que empregaram um revestimento de rocha natural bastante tradicional. As áreas de uso estão bastante claras na pavimentação. A superfície do granito austríaco é levigada. As rochas foram fornecidas pela Winkler Steinmetz GmbH; a empresa Ribo executou a pavimentação.

No 3o. prêmio, para a Igreja Paroquial de Weidling, o júri elogiou o uso „discreto e reservado“, e no entanto marcante, de rochas naturais.No 3o. prêmio, para a Igreja Paroquial de Weidling, o júri elogiou o uso „discreto e reservado“, e no entanto marcante, de rochas naturais.

No 3o. prêmio, para a Igreja Paroquial de Weidling, o júri elogiou o uso „discreto e reservado“, e no entanto marcante, de rochas naturais. Foi ressaltado particularmente o uso de rochas como ornamento: o piso ilustra um vinhedo e o caminho através deste „vinhedo“ leva ao altar. Ele é composto por grandes peças quadradas de rocha.

Foram utilizados diferentes tipos de rochas naturais, sobretudo conglomeradas. Os arquitetos foram Ernst Beneder e Anja Fischer, no beneficiamento de rochas: Franz Bamberger.

Um prêmio especial foi recebido pelos arquitetos da Neumann + Steiner pela reforma do pavilhão-plataforma da antiga estação de trem Westbahnhof, em Viena.Um prêmio especial foi recebido pelos arquitetos da Neumann + Steiner pela reforma do pavilhão-plataforma da antiga estação de trem Westbahnhof, em Viena.

Um prêmio especial foi recebido pelos arquitetos da Neumann + Steiner pela reforma do pavilhão-plataforma da antiga estação de trem Westbahnhof, em Viena. Este foi um dos principais nós viários da Áustria e dotado de um pavilhão de acordo com essa importância. Ele foi integrado a um centro de compras e assim se tornou novamente uma espécie de área de boas-vindas. As diferentes rochas naturais austríacas internas e externas foram recuperadas e restauradas. Adições vieram, tanto quanto possível, das pedreiras originais. Foram utilizados mármores Adneter dos tipos Rottropf, Helltropf e Grauschnöll. O beneficiamento foi da empresa Lauster Naturstein.

Outro prêmio especial foi oferecido ao escritório sps Architekten pelo novo prédio do Centro Comunitário e Bombeiros de Steinbach. Na fachada foram empregados gabiões e, no teto, um lastro do mesmo material.

Outro prêmio especial foi oferecido ao escritório sps Architekten pelo novo prédio do Centro Comunitário e Bombeiros de Steinbach. Na fachada foram empregados gabiões e, no teto, um lastro do mesmo material. Foi utilizada dolomita das imediações (Weissenbacher Naturstein). O júri elogiou que a fachada, diferente do usual, não foi composta em branco, mas criou com seu material uma relação com as montanhas do entorno. Também o pavimento foi criado com rochas locais.

Fotos: Pilgram

(20.12.2016)