www.stone-ideas.com

Biblioteca de Birmingham: „uma ode ao círculo”

A cabeça é redonda, de modo que o pensamento possa mudar de direção, diz um provérbio. Isso pode ser a razão para as linhas redondas, sozinhas ou entrelaçadas, que aparecem como elemento arquitetônico por todos os lugares, dentro e fora, da nova Library of Birmingham (Biblioteca de Birmingham).

Sobre este projeto, nos escreve Francine Houben, do escritório de arquitetura holandês Mecanoo: o edifício é „uma ode ao círculo”.

Ardósia brasileira foi aplicada no piso das áreas de entrada. Ela foi tratada com produtos do Surface-Care-System da fornecedora italiana Fila. Falaremos mais sobre isso adiante.

A visão do exterior não deixa imaginar para que o edifício pode servir: várias formas cuboides são empilhadas umas sobre as outras. Em todo o entorno, uma padronagem de círculos reveste as molduras das janelas azuis e os andares dourados dos arquivos. E bem acima destacam-se dois cilindros.

De qualquer forma, a impressão geral anima os transeuntes a procurar saber o que acontece dentro da edificação. Com isso, esta arquitetura já conseguiu aquilo que uma biblioteca deve buscar: despertar a curiosidade, fornecer respostas a perguntas e também inspirar.

No interior, abre-se ao visitante uma rotunda como eixo central ao longo dos 10 andares da biblioteca.

No interior, abre-se ao visitante uma rotunda como eixo central ao longo dos 10 andares da biblioteca.

São

São impressionantes aqueles andares onde as estantes de livros chegam até as escadas rolantes: a atmosfera ali é futurista e para alguns isso pode convidar imediatamente à reflexão sobre o espaço e o tempo.

Nos espaços contíguos e abertos aparecem novamente os círculos, desta vez como lâmpadas no teto, como OVNIs em formação de voo.

Nos espaços contíguos e abertos aparecem novamente os círculos, desta vez como lâmpadas no teto, como OVNIs em formação de voo.

Ao olhar para fora, vê-se desde o interior os círculos da fachada; à luz do sol eles se movem como sombras sobre chão.

A luz natural entra profundamente no prédio, encaminhada por revestimentos de cerâmica com um toque de mármore na superfície. Ao olhar para fora, vê-se desde o interior os círculos da fachada; à luz do sol eles se movem como sombras sobre chão.

Na parte superior do teto há dois cilindros. Em um deles termina o eixo central, no outro encontra-se a Sala Memorial de Shakespeare, que remonta a 1882.

Na parte superior do teto há dois cilindros. Em um deles termina o eixo central, no outro encontra-se a Sala Memorial de Shakespeare, que remonta a 1882. Aqui encontra-se, entre outras coisas, o primeiro fólio do poeta, a primeira publicação de sua obra.

No subsolo abre-se um círculo batizado „Amphitheatre”. No piso topamos de novo com os círculos da fachada, aqui desenhados com 3 granitos em tons diferentes e faixas de aço inoxidável.

No subsolo abre-se um círculo batizado „Amphitheatre”. No piso topamos de novo com os círculos da fachada, aqui desenhados com 3 granitos em tons diferentes e faixas de aço inoxidável.

Ardósia brasileira foi escolhida para as áreas de entrada, pois tanto sua cor como durabilidade e resistência ao deslizamento foram as características que mais se adequaram às ideias dos arquitetos e às necessidades do espaço. Fotos: Fila

Ardósia brasileira foi escolhida para as áreas de entrada, pois tanto sua cor como durabilidade e resistência ao deslizamento foram as características que mais se adequaram às ideias dos arquitetos e às necessidades do espaço, conforme responde à nossa pergunta Machteld Schoep, do escritório Mecanoo. Alguns números sobre os requisitos da estrutura: desde a abertura, em setembro de 2013, a biblioteca já registrou mais de 1,5 milhão de visitantes.

Foi aplicado um total de 1.800 m² de ardósia, uma parte também na área de entrada do Rep Theatre, situado ao lado, que foi redesenhado pelo escritório Mecanoo. No 3 º andar da biblioteca, onde há um terraço público com espaço verde, também foi aplicada rocha ornamental no chão. O trabalho em ardósia foi realizado pela empresa WB Simpson & Sons.

Na primeira limpeza após a colocação, foi utilizado Fila Cleaner, conforme conta a empresa: „Posteriormente, as superfícies foram tratadas com FILAW68, que confere resistência a manchas à base de água, o que é ideal para superfícies porosas tanto no uso interior quanto exterior. O tratamento não provoca a formação de película, é selador e protetor sem com isso alterar a aparência do material. Ambos os produtos fazem parte da Fila Green Line.”

O edifício foi premiado com o segundo maior dos níveis de certificação britânicos BREEAM para construções sustentáveis.

Library of Birmingham

Mecanoo

WB Simpson & Sons

Fila Surface Care Solutions

Fotos: Christian Richters

Mecanoo: Library of Birmingham.Mecanoo: Library of Birmingham.(14.08.2014)