www.stone-ideas.com

Premio Fondazione Henraux: explorando os limites da escultura em mármore

Mikayel Ohanjanyan, com sua obra „Materialità dell’invisibile” (materialidade do invisível), é o vencedor do Premio Fondazione Henraux deste ano. O prêmio é concedido a cada dois anos para esculturas em mármore. Além disso, nos anos vagos acontece a ação alternativa „Volarearte” (trocadilho do tipo: voarte), que consiste em embelezar com obras artísticas o aeroporto de Pisa.

A Fondazione Henraux tem sede na cidade de Querceta, nas cercanias de Carrara. Seu prêmio é o único no mundo concedido apenas para trabalhos em mármore.

Na edição deste ano, foram registradas 68 inscrições de artistas internacionais. Ao final, 4 chegaram à etapa final. A etapa final consiste em convidar os 4 selecionados a implementarem seus projetos de maio a julho nas oficinas da empresa Henraux, com suas rochas ornamentais.

Mikayel Ohanjanyans: „Materialità dell’invisibile”.

Mikayel Ohanjanyan teve seu bloco de mármore por assim dizer amarrado com cabos de aço. Assim ele também fez menção ao método antigo de transportar os blocos de rocha até o vale com ajuda de trenós. Frequentemente aconteciam acidentes graves naquele processo.

Francesqua Pasquali: „Frappa“.

Francesqua Pasquali venceu o segundo prêmio. Sua obra „Frappa”, que poderia ser traduzida como milkshake, é uma forma moderna de baixos-relevos.

Francesqua Pasquali: „Frappa“ (Rendering).Francesqua Pasquali: „Frappa“.

Seu trabalho, bem como o de seus colegas, mostra que artistas e artesãos ainda levam vantagem contra a máquina: programar o controle do corte via computador seria mais caro do que executar o trabalho à mão. E isso se a máquina pudesse realizar todas as tarefas.

Massimiliano Pelletti: „Back to Basic“.Massimiliano Pelletti: „Back to Basic“.

O terceiro Prêmio foi concedido duas vezes: em „Back to Basics” (volta ao básico) Massimiliano Pelletti criou em formas clássicas uma cabeça, na qual o tempo claramente agiu.

Filippo Ciavoli: „Corallo“.Filippo Ciavoli: „Corallo“.

Filippo Ciavoli criou com „Corallo” (coral) uma forma na qual se poderia imaginar tanto recifes de animais marinhos quanto mãos intrincadas.

As interpretações das obras, publicadas pela Fondazione Henraux, juntamente com biografias dos artistas e mais informações sobre o prêmio, nós disponibilizamos aqui em arquivo pdf para download.

Fondazione Henraux

Volarearte 2013

Fotos: Fondazione Henraux

No 1º prêmio, em 2012, foi agraciada a obra de Fabio Viales „Grazie e arrivederci”.No 2º lugar esteve Mattia Bosco com „Bue Tractor”.No 2º lugar esteve Mattia Bosco com „Bue Tractor”.O terceiro lugar foi para Alex Bombardieri, com „Samara”.O terceiro lugar foi para Alex Bombardieri, com „Samara”.

(21.09.2014)