www.stone-ideas.com

Hydrasplit: sob alta pressão, a água divide blocos de rocha

Hydrasplit.

Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura, diz um velho provérbio, mas agora ela de fato é usada para cortar blocos de rochas. „Hydrasplit“ é como se chama a tecnologia desenvolvida por um consórcio europeu em que água sob pressão extrema é direcionada contra buracos abertos na rocha para produzir uma fissura controlada.

O centro desta tecnologia é o Splitter (rachador): É perfurado um buraco na pedra e, em seguida, com bomba de alta pressão, produzido um impacto de 700 bar. Isto significa uma fabulosa pressão de cerca de 7000 t por metro quadrado. A água é usada apenas para transmitir a pressão, comparável à função do óleo em um sistema hidráulico.

Como em explosões de prédios comuns com dinamite, primeiro é necessário furar buracos na rocha. Sua profundidade corresponde também à das explosões controladas.

Hydrasplit.

As vantagens da Hydrasplit são, de acordo com o site do projeto, em primeiro lugar a redução de custos: Pois o sistema com o rachador, mangueiras e bomba pode ser usado várias vezes. Além disso, não é necessário lidar com explosivos perigosos.

Por fim, não há praticamente nenhuma vibração quando o bloco se rompe. Escuta-se apenas um forte estampido. Em contraste, em explosões convencionais, ao lado de um grande estrondo é produzida uma grande vibração, que atravessa a terra.

Em comparação com as partições à mão, com martelo e cunhas, há menos ruído e menos risco de acidentes.

Erik Ahnberg, da empresa sueca Emstone, vê nas „divisões de blocos„ as principais áreas de aplicação para a Hydrasplit. Fora das aplicações da indústria de rochas ornamentais, há também oportunidades na demolição de edifícios ou em certos casos na construção de túneis.

O objetivo do projeto foi tornar a exploração de pedreiras europeias novamente competitiva. Há algumas décadas ela tem lutado com custos elevados, exigentes requisitos ambientais e resistências da população.

O projeto de pesquisa foi financiado pela Comissão Europeia com 1,1 milhão de euros pelo período de 2 anos. Estiveram envolvidas as empresas e instituições Emstone, Emmaboda Granit, CBI (Swedish Cement and Concrete Research Institute) e SP (Technical Research Institute of Sweden), todas da Suécia. Da Itália estiveram Ripamonti Dr. Gianni e D’Appolonia, com Laskaridis Marble da Grécia e Abra Sp da Polônia. A associação europeia de rochas ornamentais Euroroc financiou o projeto.

Hydrasplit

Emstone

Rendering/Fotos: Emstone

(26.03.2015)