www.stone-ideas.com

„Nosso foco está em pesquisa e desenvolvimento para a criação de marcas e de design”

Ali Kahyaoğlu. Foto: IMIB

Istanbul Mineral Exporters’ Association (IMIB) é a federação nacional de rochas ornamentais da Turquia. 2333 empresas, de pedreiras a processadoras até distribuidoras estão associadas. Trata-se de filiação compulsória. Em 2014, Ali Kahyaoğlu, fundador e chefe da empresa Naturelmar Mining, foi eleito presidente desta federação. Peter Becker, da Stone-Ideas.com, conversou com ele. A primeira questão diz respeito à queda nas exportações da Turquia em 2014, sobre a qual havíamos relatado.
 

Stone-Ideas.com: Como você avalia a situação atual da indústria turca de rochas ornamentais?

Ali Kahyaoğlu: A incerteza domina a economia mundial: o preço do petróleo flutua, a crise na Rússia e da instabilidade em alguns países do Oriente Médio são fatores importantes para a exportação de rochas ornamentais. Apesar disso, espero que em 2015 mantenhamos o nível de nossas exportações. Podemos alcançar isso aumentando a oferta de produtos acabados para os Estados Unidos. Quanto à China, o registro positivo é que o governo local retomou a garantia de crédito para exportações de bens acabados em rocha. E a Índia, nosso segundo mercado mais importante na Ásia, aumentou a sua quota de importação de rochas de 600.000 para 800.000 t.
 

Stone-Ideas.com: Existe alguma meta que a indústria de rochas turca tenha fixado a longo prazo, talvez até 2023, no 100º aniversário de fundação da república turca?

Ali Kahyaoğlu: Originalmente fixamos para esta data a meta de alcançar exportações no montante de 15 bilhões de dólares. Mais tarde, aumentamos a meta para 23 bilhões de dólares. Pode parecer que atualmente isso será difícil de se alcançar, mas vamos continuar nossos esforços. Para citar apenas algumas medidas: a IMIB vai criar nos mercados estrangeiros da Turquia centros de comércio, chamados TIM (Turkish Trade Markets) por nossa organização de exportação estatal. O foco destes centros está no mármore, e a primeira instalação desse tipo será aberta na China, a segunda em Los Angeles e a terceira em Dubai ou Catar. Isto acontecerá em 2015 e fortalecerá as empresas que atuam lá.
 

Stone-Ideas.com: Vocês estão planejando algo para aquelas empresas que apenas agora tentam começar a exportar?

Ali Kahyaoğlu: Participamos de um novo projeto que visa facilitar a estes novatos um começo em novos mercados. Como parte do „Natural Stone Power Unification project targeting 2023” (Projeto de Unificação Rochas Ornamentais Rumo a 2023) um número limitado de empresas passará por um treinamento destinado a torná-las aptas para uma comercialização no exterior. Trata-se de investigação sobre mercados estrangeiros, prospecção de feiras, missões comerciais, grandes organizações de compra, etc.
 

Stone-Ideas.com: Em que medida o governo deve apoiar melhor a indústria de rochas para que esses objetivos possam ser alcançados?

Ali Kahyaoğlu: O governo turco deve parar com suas restrições burocráticas e também de aumentar a carga fiscal. Uma melhor coordenação seria muito útil, porque para o licenciamento de pedreiras temos hoje que lidar com 3 ministérios, por exemplo. Acredito que nossa indústria, que de fato atua em todas as áreas, precisa poder resolver todas as suas necessidades com um único ministério. Além disso, todas as autoridades devem apoiar aqueles que criam fábricas ou querem continuar a produzir, o que cria valor a partir de nossos recursos naturais.
 

Stone-Ideas.com: E as próprias empresas do setor de rochas – onde elas precisam melhorar?

Ali Kahyaoğlu: Deve ser atribuída maior ênfase em pesquisa e desenvolvimento. Porque a partir disto se pode gerar valor agregado. No que tange às empresas que por si só não podem desempenhar pesquisa e desenvolvimento, essas devem receber nosso apoio.
 

Stone-Ideas.com: Vamos voltar novamente às exportações. Quais são os principais países de destino no momento? Onde você vê novas oportunidades?

Ali Kahyaoğlu: No momento, a China é o alvo número um. Estados Unidos, Iraque, Arábia Saudita e Índia se seguem nesse ranking. Neste ano, esperamos um renascimento do mercado no Catar. Também na Índia temos expectativas elevadas, no sentido de que para nós ela possa se tornar uma segunda China. Como já foi dito, os centros comerciais vão oferecer grandes oportunidades: como poderemos armazenar nossos produtos lá, poderemos entregá-los aos clientes locais mais rapidamente que a concorrência.
 

Stone-Ideas.com: A criação de valor agregado já foi citada. Qual é o papel do design para você?

Ali Kahyaoğlu: Design, pesquisa & desenvolvimento e criação de marcas são questões de importância central para nós. A Turquia tem enormes recursos, mas ainda vendemos eles demasiado baratos e nos acostumamos a isso. Para superar isso, a IMIB atribui grande importância ao nosso concurso de design em rocha ornamental, que neste ano ocorrerá pela 4ª vez. Neste contexto, também é importante conectar jovens criativos à nossa indústria. Por isso colocamos uma alta dotação de valor nos prêmios, mas não apenas isso. Ultimamente estamos também oferecendo bolsas de estudo para dois anos no exterior. Nosso Ministério da Educação participa aqui como patrocinador. E, finalmente, vamos criar instituições que facilitem o contato dos designers com nossas empresas.
 

Stone-Ideas.com: Por fim: como a Turquia deveria lidar com seus ricos recursos em mármore e travertino?

Ali Kahyaoğlu: Nossas pedreiras não são nosso legado, que recebemos de nossos antepassados; elas são material de consumo para nossos clientes e estão apenas sob nossa custódia. Por isso o tema da obtenção ecologicamente sustentável de rochas é muito importante. Ele diz que a extração deve caminhar junto com o meio ambiente. Isto também significa que nós devemos processar inclusive o menor pedaço de rocha e a ele agregar valor. Se formos capazes de melhorar nossos produtos em rochas – que no momento fornecemos a 175 países -, então nossas exportações também vão aumentar nos próximos anos.

IMIB/Turkish Stones (1, 2)

(19.05.2015)