www.stone-ideas.com

IMM Carrara sinaliza maior exploração do Made in Italy enquanto marca comercial

Fabio Felici, presidente da Internazionale Marmi e Macchine (IMM) Carrara, expressa-se com cautela: „Seria útil pensar uma estratégia que nos permita colocar nossos produtos em um plano diferente dos países com quem concorremos.“

O que isto significa é que a indústria de rochas ornamentais italiana poderia desafiar com artesania de qualidade e criatividade de design a concorrência mais barata („com salários mais baixos e requisitos ambientais menos exigentes“), ou seja: explorar o Made in Italy enquanto marca registrada.

„É necessário, portanto, definir estratégias comuns, investindo em comunicação e marketing e melhorar as relações possíveis entre indústria, sustentabilidade, tradição, arte, território e cultura“, continua o comunicado de imprensa publicado junto com as estatísticas econômicas de 2014 do setor de rochas italiano.

A razão para o apelo de Felici foi o fato de que foram os produtos acabados de qualidade (em mármore) que garantiram os números positivos do setor de rochas italiano em 2014. Ali foi registrado, aliás, um aumento de +3,8%.

Isto é, à primeira vista, um aumento apenas moderado. Mas para realmente avaliá-lo, é preciso observar mais dois fatores: isso foi conseguido com uma redução simultânea em volume (-3,5%), ou seja, mais valor foi gerado com menos material.

E no total também aumentou o valor alcançado, em média, por cada unidade de mármore: em 2014 foram € 1.049 por tonelada, o que representa um robusto aumento de 7,5%.

E isso não é tudo: este aumento foi conseguido em cima de um nível já bastante alto. Em 2014 as exportações de produtos finais em mármore alcançaram 936 milhões de euros (2013: 924 milhões de euros).

No geral, observando-se todos os tipos de produtos de rochas ornamentais, no ano passado a Itália alcançou um valor de exportação de mais de 1,9 bilhão de euros (4.194.035 t). Isto foi praticamente uma estagnação em relação ao ano passado.

A queda nas exportações de granito continuou.

As exportações para a União Europeia mostraram „sinais de recuperação“, disse o comunicado de imprensa. Em valor, as exportações cresceram 474,4 milhões de euros (+ 4,7%). Em volume, mantiveram-se praticamente constantes (-0,3%, ou 598 mil t). Os compradores principais foram Alemanha e Reino Unido.

Nos Estados Unidos, os produtos acabados de mármore alcançaram em valor +16,7%, ou 275 milhões de euros. O valor médio por tonelada foi ali muito maior do que em outros mercados, 1.643 euros (+ 5%).

As exportações para o Oriente Médio caíram, embora países como o Kuwait, Emirados Árabes Unidos, Líbano e Israel permaneçam „ainda muito interessantes“.

As exportações para a China se mantiveram quase constantes em valor, mas caíram bastante em volume (-9,8%). Aqui trata-se do resfriamento na economia chinesa.

A tabela mostra as importações italianas de rocha, onde foram alcançados em valor +5,7% (395 milhões de euros) e +6,6% em volume. Em mármores a Turquia foi o maior fornecedor, em granitos foram Brasil e Índia. A Croácia cresceu especialmente como fornecedor de mármore (119.300 t – 15 milhões de euros) com aumento de + 75,6%.

IMM Carrara

Tabelas: IMM Carrara

(23.05.2015)