www.stone-ideas.com

Diretriz para a indústria de rochas ornamentais: sempre pensar no Made FOR China!

A China concentrou em 2014 mais de um terço das importações e exportações mundiais de rochas ornamentais.

Em um ponto certo ponto da leitura francamente nos assustamos: „Antes que uma empresa faça um investimento, tal como abrir uma nova pedreira ou adquirir equipamentos para processamento, ela deve (entre outros aspectos) também se perguntar: Existe na China uma demanda para o meu material ou o meu produto?“ Assim está escrito no „Stone Sector 2015“ do IMM Carrara, que anualmente analisa os dados atuais do setor e estima sua evolução futura.

Neste caso, Manuela Gussoni, autora do pdf de 100 páginas em italiano e inglês, na verdade apenas chama atenção para algo já conhecido: A China é o maior importador e exportador de rochas ornamentais. De certo ela não tem ainda, e de modo algum, o poder de compra de outro gigante do mundo do consumo, os Estados Unidos (com 317 milhões de habitantes, de acordo com a Wikipedia). Mas mesmo assim, entre o 1.367 milhões da República Popular da China, a camada de consumidores com uma carteira cheia está ficando maior, e o ano de 2014 passou pelas mãos de empresas chinesas.

Particularmente interessante na análise dos dados é que a autora não traz o ranking dos países produtores para o centro da conversa. Como é conhecido, nesse caso teríamos a seguinte sequência: China (30,4% da produção mundial em 2013) Índia (15,0%), Turquia (9,2%), Brasil (6,9%), Itália (5,4%) e Irã (5,0%), de acordo com dados de outra obra de referência na estatística do setor, o „Report Marble and Stones in the World“, do Dr. Carlo Montani em sua XXVª edição.

Por outro lado, Manuela Gussoni analisa o comércio dos países, de modo que soma importação e exportação e disso cria sua lista.

Stone Sector 2015.

Mais uma vez, a China é, de longe, 1º lugar: 36% do comércio mundial de produtos em rochas ornamentais foi o que o país movimentou em 2014. O valor total desses bens ascende a 6,8 bilhões de euros. Sobre 2013, a China alcançou uma taxa de crescimento de 4,6%.

Surpreendentemente, no entanto, com esta abordagem Itália e Turquia quase empatam em segundo e terceiro lugares (embora com grande distância da China).

A indústria de rochas da Itália tem nessa sequência uma posição especial. Ou seja, enquanto a China se tornou um gigante e uma série de novos países produtores entrou no mercado, a Itália imiscuiu-se com sucesso no mercado de bens de luxo, feitos com rochas ornamentais. O material dessas exportações é principalmente mármore, no qual um valor adicional é obtido através de tecnologia e design.

O valor de venda por tonelada, que os fornecedores italianos alcançam com seus produtos acabados de mármore sublinha isso: ele passou de 751 euros em 2009 para 1.049 euros por ano em 2014.

É notável que a Turquia esteja no 3º lugar do ranking, tendo compensado o atual declínio na demanda por blocos brutos por parte de importadores chineses com aumento nas exportações para os Estados Unidos. Também digno de nota: + 7,8% em produtos de mármore foi o desempenho de vendas da Turquia para a América do Norte, e mais do que isso ainda: quase que exclusivamente se tratou de produtos acabados.

Tendência para a produção sustentável

Em geral, a autora espera para os próximos anos uma tendência em direção a uma produção mais sustentável. „Para manter-se com competitivo, é cada vez mais importante que as empresas da indústria de rochas tratem de questões ambientais e de inovação, a fim de criar valor compartilhado e ativar estratégias de responsabilidade social corporativa.“ Trata-se assim de um conceito que coloca a atividade econômica sem danos para a sociedade e a natureza como um alvo central.

Da China Manuela Gussoni também espera mais demanda por materiais de rocha com melhor qualidade. „Isto poderia levar a um acúmulo de grandes volumes de material não vendido dentro das pedreiras“, especula ela. A base disso está em que os importadores chineses anteriormente compravam muitas vezes a produção completa de muitas pedreiras: os itens de qualidade 1-A eram exportados para países ricos, o material mais pobre era vendido na China ou em outros países.

Stone Sector 2015.

No geral, segundo o „Stone Report 2015“, o comércio global de rochas ornamentais em 2014 movimentou em torno de 22,8 bilhões de euros. Isso foi 1,8% a mais que no ano passado. Expresso em toneladas, foram 86 milhões, com um aumento de 7,4%.

„Stone Report 2015“ Annual Report and Prospects for the International Stone Trade“/„Stone Sector 2015. Bilancio e prospettive del commercio internazionale dei prodotti lapidei“ contém diversas análises e tabelas.

Stone Sector 2015.

O download gratuito é possível após registo em uma página da IMM Carrara na internet.

Manuela Gussoni. Foto: IMM Carrara

(13.09.2015)