www.stone-ideas.com

Rokin Plaza em Amsterdã: fachada em alumínio e rocha ornamental

Linhas perpendiculares dominam a fachada do novo prédio comercial chamado Rokin Plaza no centro histórico de Amsterdã.

Os arquitetos do escritório ZZDP projetaram um prédio moderno segundo a técnica construtiva histórica na cidade dos canais holandesa

Linhas perpendiculares dominam a fachada do novo prédio comercial chamado Rokin Plaza no centro histórico de Amsterdã. A divisão em duas partes está mais que evidente, entre outras coisas, pelo uso de diferentes materiais, incluindo arenito frisado.

Vamos falar um pouco da história construtiva de Amsterdã para melhor compreender a arquitetura do escritório ZZDP.

Casas estreitas com altas fachadas são uma característica tradicional das construções na Grachtenstadt, cidade dos canais, como a capital holandesa é conhecida. O fato tem sua origem no cálculo do imposto territorial urbano, que era baseado na largura da fachada para o canal.

Foto área do centro de Amsterdã com seus canais (Grachten). Foto: Bureau Monumenten & Archeologie of Amsterdam / Wikimedia Commons

A foto aérea mostra o centro da cidade. O Rokin Plaza fica muito exatamente no centro da foto.

Antigamente havia em seu local um hotel nobre e - na foto ao lado, à direita - um prédio estreito. Uma passagem que atravessava o terreno dividia ambos.

Antigamente havia em seu local um hotel nobre e – na foto ao lado, à direita – um prédio estreito. Uma passagem que atravessava o terreno dividia ambos.

Depois de o hotel sofrer um incêndio catastrófico em 1977, que o reduziu literalmente a cinzas e escombros, foi construído no local nos anos 80 um prédio de escritórios, que  resumiu ambos, incluindo a passagem, a um bloco de aparência maciça.

Depois de o hotel sofrer um incêndio catastrófico em 1977, que o reduziu literalmente a cinzas e escombros, foi construído no local nos anos 80 um prédio de escritórios, que resumiu ambos, incluindo a passagem, a um bloco de aparência maciça. Sua fachada também foi composta toscamente, tal como o resto do conjunto.

Não espanta que tenha passado longamente vazio.

Com um novo investidor, começou em 2010 o novo projeto, pelo escritório ZZDP, de Amsterdã, cujos arquitetos se orientaram novamente pela forma construtiva histórica do local.

O conjunto, apesar de sua nova altura, causa uma impressão de menos volume, ao se dividir claramente em duas partes. Isso foi obtido também através do uso de diferentes materiais em sua fachada.

O conjunto, apesar de sua nova altura, causa uma impressão de menos volume, ao se dividir claramente em duas partes. Isso foi obtido também através do uso de diferentes materiais em sua fachada: De um lado foram colocadas chapas metálicas cor de bronze, do outro calcário de um branco luminescente. A rocha tem uma superfície especial, que depois será detalhada.

Também em altura os dois prédios foram diferenciados.

Outra novidade é o menor número de andares. Isso abre o interesse para as cadeias de lojas de roupas, que exigem pés direitos altos para apresentarem seus produtos.

Bem no alto encontram-se andares dedicados a escritórios, no estilo cobertura.

Ao passo que a fachada em bronze parece bastante moderna, a outra parte do prédio, em arenito, tem um estilo clássico. Observado de perto, ele parece até antigo.

Ao passo que a fachada em bronze parece bastante moderna, a outra parte do prédio, em arenito, tem um estilo clássico. Observado de perto, ele parece até antigo: as placas de arenito coquina tiveram suas superfícies, nas quais o passar do tempo parece se espelhar, beneficiadas pela empresa alemã Traco.

Para isso foram feitos à máquina frisos regulares ao longo da rocha, sendo que posteriormente os cantareiros da empresa corrigiram cada peça à mão.

Para isso foram feitos à máquina frisos regulares ao longo da rocha, sendo que posteriormente os cantareiros da empresa corrigiram cada peça à mão.

A instalação das placas de rocha na armação da fachada foi realizada pela empresa holandesa Dekker Natursteen.

E por fim: enquanto nos velhos prédios de Amsterdã a fachada em seus últimos andares se projeta para frente, aqui os andares superiores estão recuados.

As fachadas da rua Rokin 12 se repetem do outro lado da quadra, na rua Kalverstraat 11.

Mais uma coisa: As fachadas da rua Rokin 12 se repetem do outro lado da quadra, na rua Kalverstraat 11.

As paredes dos corredores de passagem são decoradas em ambos os lados com o material predominante na fachada de seus respectivos prédios.

As paredes dos corredores de passagem são decoradas em ambos os lados com o material predominante na fachada de seus respectivos prédios.

ZZDP Architecten

Traco

Dekker Natursteen

Daytime Fotos: Michel Kievits Fotografie

Nighttime Foto: Marcel van der Burgh, Primabeeld

(14.01.2016)