www.stone-ideas.com

Tomasz Staniszewski coleciona ações de antigas empresas de rochas

Ações da Middlebury Marble Company, do estado norte-americano de Massachussetts (1922).

O proprietário da empresa Inbra Polska expôs seus exemplares mais bonitos na feira „Stone“ em Poznań

As pessoas vão e voltam, já as rochas permanecem. É uma pena que rochas antigas, depois de um tempo, guardem apenas as marcas de ferramentas que as trabalharam, e nada de informação sobre as pessoas que as trabalharam. Contudo, há documentos que ao menos registram algo sobre antigas atividades econômicas: na feira polonesa „Stone“ em Poznań (de 18 a 21 de novembro de 2015) foram apresentadas ações de empresas do setor de rochas dos últimos dois séculos.

Ações da empresa grega Paros Marble (1882).

Elas eram desenhadas esplendorosamente, por vezes até apaixonadamente. Afinal de contas, seu objetivo era conferir ao investidor um sentimento de confiança e segurança quanto àquele investimento. Mais de 150 exemplares da coleção de Tomasz Staniszewski foram expostos na feira.

Ações da empresa francesa Carrières du Perlonjour (1913).

Sobre a trajetória de Staniszewski, cumpre contar alguns momentos que se encaixam bem na história do setor.

Hoje, aos 45 anos, ele vem de uma família de cantareiros. Já seu bisavô tinha uma empresa em Radom, cerca de 100 km ao sul de Varsóvia, construindo túmulos e trabalhando junto à construção civil. Contudo, Staniszewski queria uma vida diferente daquela de seu avô e estudou economia após a queda do comunismo na Polônia.

Uma ação finlandesa dos anos 1934 mostra anões em rotina de trabalho (1934).

Lá um dos professores mostrou durante uma aula exemplares de ações para ilustrar essa forma de criação de renda – e a partir dali Staniszewski se apaixonou por aqueles papéis decorados.

Inicialmente ele colecionou papéis de ações da Rússia do tempo dos czares. De lá para cá, ele mesmo voltou ao setor de rochas e então dedicou-se aos papéis de seu próprio ramo. Não foi difícil encontrá-los, pois desde o século 19 a obtenção de rochas naturais esteve ligada a grandes investimentos, e assim foram criadas várias sociedades de capital aberto, com ações oferecidas ao mercado.

Hoje sua coleção soma cerca de 280 peças do setor de rochas, de todo o mundo. No total, ele possui cerca de 1500 ações antigas.

Ações da empresa norte-americana Indiana Limestone (1927).

Algumas das empresas mencionadas naqueles papéis existem ainda hoje, algumas com outros nomes, outras como parte de empresas maiores e de outras ainda sobrou apenas uma marca na paisagem.

Ação de uma empresa suíça (1927).

Como colecionador, Staniszewski naturalmente está permanentemente ligado na busca de informações sobre quais empresas emitiram ações no passado.

Sua ocupação principal é administrar sua empresa, a Inbra Polska, uma das principais importadoras do país.

Tomasz Staniszewski.

Havia também um motivo para a exposição: a Inbra Polska de Stanieszewski comemorava 20 anos de atividades no setor de rochas.

Tomasz Staniszewski (Mail), (polonês)

Inbra Polska

(06.02.2016)