www.stone-ideas.com

Stona 2016: licenciamento ambiental para pedreiras deve se tornar mais rápido na Índia

Design de pedra da empresa indiana <a href="http://www.worldofstones.com/"target="_blank">World Of Stones</a>.

O estado de Karnataka destaca-se na reclamação de que a política atrapalha o setor de rochas

Update: The below mentioned training center near Hosur will also have a stone-museum and a showroom and facilities for stone-testing, The Hindu reports.

Pode ser que no futuro seja mais fácil para empresários indianos receber licenças para novas pedreiras ou prorrogações para as antigas. Paralelamente à feira Stona em Bangalore (3 a 6 de fevereiro de 2016), um representante do Ministério de Minas e Minérios informou que as solicitações para os licenciamentos ambientais se desdobrarão em 3 níveis: „Uma pedreira de granito ou mármore com tamanho de até 5 hectares pode encaminhar sua solicitação direto ao distrito local, uma empresa de 5 a 50 hectares deve fazer isso junto à autoridade de seu estado e apenas aquelas de área ainda maior precisarão dirigir-se ao comitê nacional“, disse o secretário do ministério Balvinder Kumar, segundo o jornal The Hindu.

A federação do setor de rochas ornamentais FIGSI (Federation of Indian Granite and Stone Industry, antigamente AIGSA), elogiou a iniciativa.

Segundo o jornal The Hindu, trata-se de promover a exportação de rochas ornamentais. „Dos recursos indianos em mármores e granitos, estimados em 4,6 bilhões de metros cúbicos, o que é resgatado para operações sequer chega a 5% da capacidade“, afirmou o representante do ministério. O objetivo seria aumentar em 6 vezes as exportações nos próximos 3 anos.

As reclamações do setor quanto à política, em especial no tema do licenciamento ambiental, é antiga. Em razão disso, o presidente da FIGSI, R. Sekar, informou em sua palestra que nos últimos 6 ou 7 anos o beneficiamento de granito em Karnataka caiu pela metade, com mais de 4000 pendências em solicitações relacionadas a pedreiras.

„O número de pedreiras em funcionamento em Karnataka está atualmente em lamentáveis 250, sendo que há capacidade para 10.000“, disse o vice-presidente da FIGSI, S. Krishna Prasad, ao jornal The Hindu.

O governo do Rajastão, por outro lado, é mais sensível aos negócios, de modo que ali funcionam atualmente cerca de 40.000 pedreiras de mármore e granito.

Com isso, Karnataka caiu da primeira posição para a quinta no ranking dos estados indianos produtores de rochas ornamentais. Até mesmo o recém emancipado estado de Telangana, com suas 4000 pedreiras, ultrapassou o antigo líder.

Foi convidado de honra da feira o conselheiro de economia e comércio da Embaixada do Peru, Luis Cabello. Foram entregues vários prêmios, por exemplo, para o desempenho de empresas na exportação de certos tipos de rochas, pela administração de pedreiras e a estudantes de geologia.

Como já é tradição, aconteceu nesta edição desta feira bienal o „Shilpgram“, uma vila artística onde artesãos apresentavam seus trabalhos e executavam obras ao vivo.

Uma das atrações para os visitantes foi a estátua de tamanho natural do ex-presidente indiano APJ Abdul Kalam em granito negro. O trabalho foi realizado pela produtora de lápides mortuárias Kani Granites, como cópia do original, que se encontra em Chandipur Beach.

A federação FIGSI planeja construir um centro de formação para o setor e com esse propósito já comprou um terreno nas imediações de Hosur, no estado de Tamil Nadu, informa o IBC World News. Ali deve ser ensinado o funcionamento das mais modernas máquinas e em nível internacional.

The Hindu (1, 2)

IBC News

Update: The Hindu

(20.03.2016)