www.stone-ideas.com

„Percorsi d’Arte“ no pavilhão 1: Pesquisa e desenvolvimento em objetos em rochas naturais

Sondando novas possibilidades esculturais com máquinas CNC e fio de diamante

Na Marmomacc 2019 no pavilhão 1: Italian Stone Theatre

A naturalidade da rocha é tema central do Italian Stone Theater no pavilhão 1 da Marmomac este ano. Recomendamos especialmente a apresentação „Percorsi d’Arte“ (Caminhos da Arte), cuja curadoria é, pela segunda vez, de Raffaello Galiotto. O que 5 conhecidos artistas internacionais apresentam ali não é apenas arte, mas também pesquisa e desenvolvimento de objetos artísticos, por assim dizer.

O conceito central de Galiotto é: com máquinas CNC e fios de diamante, há novas ferramentas disponíveis para escultores e eles devem explorá-las. As novas tecnologias „pertencem à linguagem de nossa época“, afirma ele em entrevista. Ali ele ressalta também que o artista deve desenvolver „um novo respeito“ por esse material, cuja antiguidade remonta a milhões de anos, e entre outras coisas, deve evitar resíduos ou pelo menos diminui-los.

Assim, os participantes da mostra „Percorsi d’Arte“ exploram os caminhos que podem ser abertos à escultura pelas novas ferramentas.

Apresentamos resumidamente a sequência em que estes trabalhos são comentados no material de imprensa preparado pela Marmomac:
 

Nicolas Berthoux: „Diapason“.Nicolas Berthoux simbolicamente fez de uma placa de rocha uma nova montanha com „Diapason“ (Diapasão): com fio de diamante ele recorta várias silhuetas de picos no material, revirando-os de diferentes maneiras e reagrupando-os outra vez. Desde a cavidade por ele recortada na rocha, sobressai uma nova montanha. Seu trabalho utiliza o mármore italiano Arabescato Orobico.
Produção: Cms; Fornecedor de rocha: Cave Gamba
 

Raffaello Galiotto: „Symmetric“.Raffaello Galiotto, que começou como designer industrial, ocupou-se de maneira bastante incomum com os veios de certos tipos de rocha enquanto particularidades da natureza: em „Symmetric“ (Simétrico) ele cria com 3 exemplos inicialmente um book-match (obtendo um efeito espelho com a disposição das placas) – o que produz, desde a aleatoriedade natural dos desenhos dos veios, uma simetria humanamente induzida. Então ele faz uso da tecnologia para beneficiar a superfície naquilo que a estrutura original, no geral, embaralhou. A simetria em si é um princípio da natureza, encontrável, por exemplo, nos rostos humanos.
Produção: Emmedue; Software: DDX; beneficiamento da superfície: Fila Industria Chimica; Fornecedor da rocha: Essegra International; Ferramentas: Nicolai Diamant
 

Sylvestre Gauvrit: „Do not stop at the surface, dig deep to find the soul”.Sylvestre Gauvrit alerta em „Do not stop at the surface, dig deep to find the soul” (Não se limite à superfície, cave mais fundo para encontrar a alma), que o observador não deve formar uma impressão apenas em função da aparência das coisas. Para isso ele recorta um contorno em um bloco. As laterais do contorno se reconhece imediatamente no material resultante. Contudo, o contorno vira-se sobre si mesmo, no sentido figurativo, tal como uma cortina, através da qual soprou o vento.
Produção: Tyrolit Vincent
 

Jon Isherwood: „Flourish”.Jon Isherwood visitou floristas e depois virou a natureza de cabeça para baixo: com „Flourish” (florescer) ele deixa transparecer as filigranas mais finos que o mundo vegetal tem a oferecer: seus brotos. Trata-se de certo modo de uma petrificação, possibilitada pela nova tecnologia. „Eu desejo tornar visível a beleza da rocha fazendo brotar o mármore”, afirma ele no material de divulgação.
Produção: Garfagnana Innovazione
 

Cynthia Saw: „Wave’s Passage“.Cynthia Saw de certa forma deixa fluir uma onda através da rocha em „Wave’s Passage“ (passagem da onda) ao modelar fluxos e refluxos. „Os traços do beneficiamento podem acentuar a fruição da forma“, comenta ela.
Produção: Denver, Software: Taglio.
 
 

Giuseppe Fallacara: „Klaustrum“.Ao lado da apresentação „Persorsi d’Arte“, recomendamos especialmente aos visitantes do pavilhão 1 também o trabalho de Giuseppe Fallacara no conjunto „Lithic Garden“ (jardim rochoso): Junto com o escritório Zaha Hadid Architecture, esse professor associado do instituto Politécnico de Bari ergueu uma estrutura que projeta ao futuro a tradicional tecnologia de rochas da estereotomia. O resultado são arcadas que lembram um pouco os claustros de monges em mosteiros. „Klaustrum“ (torre do claustro) é o nome da obra.
 

<strong srcset=Giuseppe Fallacara: „Lithic Fabric“.” width=”440″ height=”293″>Também de Guiseppe Fallacara no pavilhão 1 da Marmomac 2019: „Lithic Fabric“ (Tecido Rochoso). Ladrilhos de mármore são conectados através de uma rede metálica e assim possibilitam uma cobertura para qualquer obra construtiva, tal como nas folhas de hera como forma de proteção solar.
Empresa: CNC Design di Francesco Brunetti

Marmomac, de 25 a 28 de setembro de 2019

Fotos: Marmomac

Na Marmomacc 2019 no pavilhão 1: Italian Stone Theatre

(19.09.2019)