Michael Picco: „Precisamos informar sobre rochas naturais com mais fatos ecológicos, por exemplo, com Declarações Ambientais de Produto (EPDs) e Avaliação de Ciclo de Vida (ACV)”

Foto: acervo particular

O atual presidente do Natural Stone Institute (NSI) está otimista com momento atual, inclusive para a aprovação de uma padronização internacional de fichas técnicas sobre mármores, granitos e cia

Michael Picco preside o Natural Stone Institute (NSI) dos Estados Unidos neste ano de 2021. Ele formou-se em engenharia civil na McMaster University, em Hamilton, Ontário, Canadá, e logo após a graduação percebeu um nicho de negócios entre o que arquitetos criativos projetavam com rochas naturais e os serviços que estavam disponíveis no mercado para se realizar tais ideias. Em 1992 ele fundou a PICCO Engineering em Toronto, famosa por fachadas especiais. Peter Becker, da Stone-Ideas.com, conversou com ele sobre a atual demanda por rochas naturais na América do Norte e sobre os mercados em geral.

Stone-Ideas.com: Como está a demanda por rochas naturais na América do Norte no momento?

Michael Picco: Do ponto de vista do mercado residencial, em 2020 houve uma demanda crescente e ela parece continuar assim neste ano. Em razão da Covid, as pessoas passaram a investir em suas casas e não em viagens ou em cultura. Minha esposa e eu também valorizamos nossa cozinha com um belo quartzito. No setor comercial e institucional, houve um pouco mais de insegurança e em 2020 muitos projetos foram suspensos. Mas no momento a expectativa é que eles sejam retomados.
 

Stone-Ideas.com: Em suma, o setor de rochas naturais está sob forte pressão da concorrência, sobretudo cerâmicas de grandes formatos e rochas artificiais. O que deveria ser feito?

Michael Picco: Desde um ponto de vista estético, as empresas de porcelanatos e pedras sintéticas fazem um marketing espetacular de seus produtos. Por isso eu digo que o setor de rochas deveria se concentrar no aspecto natural do seu material: uma pegada de carbono incomparavelmente menor que a da concorrência, a longevidade, a naturalidade 100% do produto etc. Temos que fazer esta mensagem chegar melhor nos arquitetos e designers de interiores.
 

Stone-Ideas.com: Isso não foi feito antes?

Michael Picco: No que diz respeito à comunicação, foram feitos esforços até aqui, no sentido de se comunicar os benefícios da rocha natural, mas creio que devemos apoiar isso com dados, por exemplo, as EPDs* ou a pegada de carbono**. Muitos dos concorrentes já publicaram fichas técnicas de seus produtos exatamente por isso. Acho que o setor de rochas devia tomar isso de maneira global.
 

Stone-Ideas.com: De maneira global?

Michael Picco: Rocha é rocha, independentemente de onde vem, e apesar de haver diferentes tipos, tanto a extração quanto o beneficiamento são essencialmente muito parecidos no mundo todo. Então, Declarações Ambientais de Produto podem ser implementas facilmente em qualquer país e tais padronizações tornariam mais fáceis a vida dos arquitetos, que poderiam comparar rochas ao redor do mundo e assim obter um certificado verde para suas construções. Fatores como o transporte podem ter impactos específicos, conforme a localização da pedreira e do canteiro de obras em questão. O desenvolvimento de normas globais seria uma vantagem para o setor com um todo.
 

Stone-Ideas.com: É uma ideia surpreendente.

Michael Picco: No momento, a situação é propícia para isto, porque a Organização Internacional de Padronização (ISO) está criando tais normas para as rochas. Estou muito contente com o fato de que o Natural Stone Institute desempenha um papel de liderança neste esforço global em favor do nosso setor.
 

* As Declarações Ambientais de Produto (EPDs) são definidas pela Organização Internacional de Padronização como uma compilação de dados sobre energia e recursos necessários para a geração, beneficiamento e transporte de um produto até o consumidor, incluindo também seu descarte. Elas objetivam possibilitar uma comparação científica (e não emocional) de produtos com funções semelhantes.

** Pegada de Carbono (Avaliação de Ciclo de Vida, ACV) analisa os impactos sobre o meio ambiente em uso de recursos ou emissões na geração, uso e descarte de um produto. Se houver reciclagem e reutilização, também estes também entram na contabilização. „Do berço ao túmulo” (from the cradle to the grave), ou „do berço ao berço“ (from the cradle to the cradle), respectivamente, são os slogans que descrevem a abordagem abrangente da ACV. As ACVs são usadas como ferramentas para a criação de EPDs.

PICCO Engineering

Natural Stone Institute

See also:

(15.03.2021)