www.stone-ideas.com

Arquitetura: Abacaxis atrás da fachada de rochas

(Julho 2011) A estufa tropical Frutigen (Tropenhaus Frutigen) é uma das construções mais extraordinárias da Suíça. Por um lado em razão de sua combinação entre função e local: no planalto de Berna ela serve para cultivar frutas tropicais e também criar caviar. Repetindo: na cadeia de montanhas dos alpes suíços, onde normalmente se ganha dinheiro com esqui e montanhismo, os moradores agora vivem de abacaxis, bananas e ovas de peixes. E isso tudo de maneira ecologicamente sustentável.

Por outro lado, também sua fachada é incomum: em seu concreto, que parece uma parede de falésia cheia de abismos, também há placas de rochas ornamentais. Os arquitetos foram Gauer Itten Messerli.

A história prévia tem algo a ver com a cadeira montanhosa. No massivo Doldenhorn há um gotejar permanente de água de degelo que atravessa a montanha. A pressão da rocha aquece essa água até cerca de 20 graus.

Desde que a montanha também abriga um grande tunel ferroviário, apareceu um problema: a água que é recolhida ao longo dos canos se soma a um caudaloso curso de riacho, com cerca de 100 litros por segundo. Se levada a um lago, isso inevitavelmente liquidaria as vidas animais e vegetais no local.

Então surgiu a ideia de resfriar a água quente da montanha em um enclave tropical em Frutigen. Ela atende a demanda energética básica dessa instalação e de outros prédios no local. Energia adicional é obtida ali com luz solar ou lixo, segundo um comunicado de imprensa.

Na estufa tropical não se trata de modo algum de produzir frutas com fins comerciais. Trata-se de atrair visitantes locais e turistas: uma gastronomia sofisticada é oferecida em um ambiente próprio de regiões quentes, com orquídeas e bulbos com especiarias, uma exposição sobre o mundo da montanha e dos trópicos. E por fim pode-se visitar estufas botânicas e piscinas para peixes.

O centro turístico tem o formato de um bloco de rocha alongado. Sua fachada imita as escarpas montanhosas das redondezas. Isso é conseguido através de 69 elementos irregulares de concreto colorido, produzidos pela empresa Creabeton.

E o tema montanha não para por aí. O fato de que os engenheiros que construiram o tunel ferroviário encontraram diferentes camadas com vários tipos de rochas devia estar estampado no revestimento do centro turístico.

Assim foram aplicadas placas assimétricas de granito Nero Assoluto na fachada. Elas representam carvão e outras rochas carboníferas furadas pelo tunel. Placas de gneisse Onsernone lembram o calcário da montanha. Elas foram produzidas com 3 cm de espessura pela fábrica de placas de ardósia Frutigen.

Um desafio particular foi a aplicação das placas na parede de concreto. As dimensões das placas de concreto eram de 7 m x 3,5 m e pesavam 8,5 t. A menor delas tinha o formato de uma folha A4. A montagem das partes da fachada demoraram 3 dias e precisaram de uma grua de 160 t. O custo total da obra foi de 30 milhões de Francos Suíços.

Tropenhaus Frutigen

Gauer Itten Messerli Arquitetos (alemão)

Creabeton 

Fotos: Tropenhaus Frutigen