www.stone-ideas.com

Design: Rochas para o bem estar na Piazza

(Fevereiro 2012) A logomarca do projeto diz bem do que se trata: seixos estão dispostos em círculo de uma forma que as listras brancas de cada um deles se encaixam para formar uma linha circular contínua. O projeto Da Nido a Guscio (Do Ninho à Concha), que em outubro de 2011 se realizou pela quinta vez no balneário italiano de Rimini, nessa edição tratou do desafio de como se compor melhor praças, de modo a reforçar um sentimento de cidadania nas cidades.

O conceito foi resolvido pelo designer Raffaello Galiotto. Estiveram envolvidos colegas de sua corporação e empresas transformaram o projeto em rochas. Afinal, rochas ornamentais determinam o visual em muitas das antigas cidades italianas e a iniciativa também tratava de descobrir novas possibilidades de aplicação do material na área urbana. A revista de design Ottagono também foi parceira

Raffaello Galiotto (em italiano)

Feira Sun, Rimini

A comunicação era naturalmente tema central do projeto. Antigamente essa palavra significava „ligação de trânsitos“ e assim uma das obras expostas tratou do tema da mobilidade. Bicicletários foram desenvolvidos pelo designer Roberto Giacomucci com a empresa Staminalstone.

Em uma delas eram pequenas colunas („Buky“), nas quais passavam as correntes que prendem bicicletas, através de um orifício aberto na rocha com furadeira. Em outras eram simples bases com um cabide, chamado „Ciottolo“ (Seixo).

Bem mais complexo foi „Carpet“ (Tapete) em forma de uma sequência de ondas do mar. Cinco bicicletas cabem em cada módulo. Os modelos são aparafusados no chão.

Eles foram concebidos para a localidade de Senigallia. O material foi mármore Bardiglio Nuvolato, obtido pela StaminalStone na região de Carrara. A aplicação e realização é da empresa Anzilotti.

Roberto Giacomucci (em italiano)

StaminalStone

Anzilotti

A concepção dos assentos e floreiras cúbicas do designer Manolo Bossi foi bem marcada pela história da arte italiana: serviu de modelo para o mobiliário urbano „Romans“ (Romanos) a basílica de São Zeno, em Verona. Ele utilizou camadas de dois tipos de rocha, aqui mármore Grolla Cream e Grolla Pink, ambos polidos. Marmi Faedo foi a empresa que realizou o trabalho.

Manolo Bossi

Marmi Faedo

Em „Barena“, de Pio&Tito Toso, o nome indicava o programa: Barene, nas lagoas de Veneza, fazem a passagem entre terra e mar, ficando submersa no período de cheias. Ela normalmente passa por trocas entre água salgada e água doce.

Os designers reencontraram esse „revestimento de paisagem“ natural no chão das praças de Veneza, com montagem de placas de rochas e dobradiças. O mobiliário urbano se ergue com seus apoios delicados desde o chão do mesmo modo que um banco de areia. Os assentos e recipientes de lixo foram projetados em formas cúbicas, já as luminárias e fontes são arredondadas, assim como os bueiros para canalizações.

O material foi Trachito Euganea, encontrável por toda parte em Veneza. O trabalho foi executado pela empresa homônima.

Pio&Tito Toso

Trachite Euganea

O objetivo da ideia „ZOT“, do arquiteto Pierluigi Molteni, foi libertar a rocha de seu papel batido, de material para monumentos, e torná-la estofo de escritórios modernos e a serviço dos cidadãos. O projeto foi desenvolvido em arenito Pietra Serena para a Piazza della Repubblica, na localidade de Tresigallo.

O design de Molteni é composto por uma linha de elementos alongados em tamanhos padronizados. Eles se deixam combinar por cantos conectáveis ou também podem estender-se sobre toda a praça até a rua ao lado. Adicionalmente também foram colocados elementos metálicos, que servem como recosto, ou como local para se depositarem volumes, bem como luminárias em forma de bastonetes, às quais se podem agregar elementos. Com cortes simples na rocha, pode-se inclusive usar a instalação como bicicletário.

Pierluigi Molteni (em italiano)

Il Casone

Designers frequentemente gostam de dar ao mobiliário urbano uma dupla função, como por exemplo floreiras cúbicas que podem servir de assento. Diego Chilò desenvolveu com esse propósito um tipo de vaso („Sengio“), sob cujo círculo mais baixo os cidadãos podem sentar-se e no círculo mais alto é possível plantar algo.

O material utilizado foi Pietra di Vicenza. Na cidade de Vicenza ela é a rocha mais consagrada: arquitetos renascentistas deixaram ali algumas obras famosas em calcário. A empresa Peotta Armando é responsável pelos anéis dos „vasos“. Eles podem ser combinados com objetos de diferentes alturas. A empresa Ecobeton realizou o tratamento químico dessa superfície.

Diego Chilò

Peotta Armando

Ecobeton

Também Alessandra Pasetti desenvolveu a mobília urbana „Holywater“ com dupla função. Nela trata-se de uma poço de água potável circundada por assentos. A bacia d’água a seu pé foi colocada de modo que também animais pudessem beber ali.

A pavimentação vale-se de uma particularidade da assim chamada Isola della Pescharia em Treviso: ali encontra-se o Mercado de Peixes e em razão dele os círculos simbolizam pequenas gotas d’água.

A designer utilizou mármore Grolla com superfície polida e jateada de areia. Ela tem a cor das casas do entorno daquela praça. Ao lado foi colocada uma rocha negra. Marmi Faedo são autores deste projeto.

Alessandra Pasetti

Marmi Faedo

Um outro projeto („Connect chair“) realizado por Romolo Stanco e a empresa Paver.

Fotos: Empresas / Raffaello Galiotto