Arquitetura: Ideias para fachadas em rocha com outros materiais (6)

(Dezembro 2012) Erigido nos anos 1920, o prédio dos Correios no centro histórico de Gotemburgo é sisudo e tombado como patrimônio da cidade. Há cerca de um ano, uma torre de 13 andares rasga o céu desde de seu pátio interno. O conjunto agora é sede do Clarion Hotel Post, nesta que é a segunda maior cidade sueca.

E não é apenas o fato de que a torre subverteu a percepção de horizontalidade que caracterizava a antiga construção. Também sua fachada escura contrasta do revestimento de antigos tijolos amarelos que a circunda. E mais: a fachada da torre é dividida em duas metades, das quais uma apresenta ardósia e a outra cobre. Ambos materiais se repetem no interior do prédio.

As placas de ardósia têm dimensões de 60 cm x 30 cm e espessura de 1 cm. Elas são parte de um revestimento inovador para este hotel, criado pela empresa Skandinaviska Glassystem AB. A rocha é colada em grandes placas de um material recém desenvolvido, chamado Sonoboard.

O cobre foi antes tratado com um sistema de oxidação. Diferentes tons o destacam da ardósia, com apenas leves variações entre preto e cinza. A rocha utilizada é a chamada Riverstone, da Argentina, fornecida pela empresa britânica SSQ e distribuída pela Nordskiffer. As placas de cobre são fornecidas pela distribuidora internacional Aurubis AG. O escritório de arquitetos responsáveis é o Semrén & Månsson, da Suécia.

Na torre estão não apenas a maioria dos cerca de 500 quartos de hotel, mas em seu último piso há também um terraço e uma piscina.

Clarion Hotel Post, Göteborg

Semrén & Månsson

SSQ

Nordskiffer (em sueco)

Aurubis AG

Linhas horizontais se impõem no novo Museu de Arte da metrópole Tianjin, ao norte da China. O revestimento da fachada em travertino reforça essa impressão e confere ao prédio uma impressão de bloco maciço.

Janelas estendem-se ao longo de paredes inteiras e cavidades e saliências contribuem para um relaxamento do conjunto. Com suas formas longamente estendidas, elas acentuam outra vez a horizontalidade das linhas.

Estruturas em forma de lamelas trazem um pouco de movimento ao exterior do prédio, de quase 30 m de altura.

O Museu de Arte, originalmente planejado como Tianjin Art Gallery, é parte de um novo bairro que conterá também uma ópera e uma biblioteca, que se seguem em linha ao longo da margem de um rio.

O planejamento foi do escritório de arquitetura alemão KSP Architekten. „As escadas em forma de cascata, que conduzem às salas de exibição nos andares superiores parecem escavadas na rocha que constitui o museu“, explica um release de imprensa desse escritório.

Também no interior do museu essas linhas marcam fortemente a decoração.

Tianjin é uma das cinco cidades chamadas National Central Cities, nas quais a China deseja experimentar conceitos para o futuro planejamento urbanístico do país. Ela está situada no Bohai Economic Rim, uma das regiões que mais crescem economicamente no país, à qual pertence também a capital, Beijing. Segundo a Wikipedia, 6,8 milhões de pessoas moravam ali em 2010, sendo que a região metropolitana abarca 13 milhões.

KSP Jürgen Engel Architekten

Condições meteorológicas extremas são enfrentadas pela fachada em ardósia do „Berghotel“ (hotel nas montanhas) Malta, a 1933 m de altura nos alpes austríacos: a chuva e os ventos podem chegar 200km/h nas placas de rocha de 60 cm x 30 cm, razão pela qual elas são aparafusadas e também grampeadas. As rochas foram fornecidas pela empresa alemã Rathscheck.

O hotel redondo dos anos 1970 foi recentemente reformado e saneado integralmente. Originalmente ele servia de pousada para carregamentos e trabalhadores da construção da usina de energia Malta, que gera a partir da água de três diques. Hoje o hotel alberga 60 quartos para turistas aficionados em montanhismo. Ele só pode ser frequentado nos meses de verão.

Uma particularidade da fachada são os intradorsos das janelas. Eles alternam-se à direita e à esquerda, dando à fachada uma aparência simétrica. Na verdade, contudo, as distâncias entre as janelas variam em cerca de meio metro. O arquiteto foi o Dr. Eng. Herwig Ronacher. O trabalho na fachada foi realizado pela empresa Striedner, da região austríaca de Caríntia.

Berghotel Malta

Rathscheck Schiefer

Herwig Ronacher

Striedner