Arquitetura: Jogo de luz sobre altíssima parede de rocha

(Janeiro 2013) Admitimos que estamos dando essa notícia com um ano de atraso, mas o objeto em questão também precisou de bons 15 meses de atraso para ficar pronto: na Cidade do México há desde janeiro de 2012 um monumento em comemoração aos 200 anos de independência. O chamado Bicentenario de la Independencia foi comemorado em 2010, com seu ponto alto no mês de setembro.

„Estela de Luz“ é como se chama a esguia torre com 104 m de altura. Em sua base, ela tem 9 m de largura. Seus fundamentos, contudo, chegam a 13 m de profundidade.

Ela é composta em seu interior de uma construção metálica, que apenas nas laterais largas é revestida com rocha ornamental. O arquiteto César Pérez Becerril quis simbolizar assim a independência e o desenvolvimento desde então. A rocha é transparente, de modo que milhares de luzes LED atrás das placas possam desenhar um jogo de luz na superfície externa da torre.

Trata-se de quartzito Cristallo fornecido pela empresa brasileira Pettrus Mineração. Foram utilizados os três padrões de material nomeados Cristallo, Cristal Quartz e Iceberg. A estrutura metálica e a técnica de iluminação vieram da Europa – algo que, ao lado da triplicação dos custos inicialmente orçados e erros de planejamento, rendeu críticas iracundas.

1704 placas de rochas, com dimensões de 150 cm x 80 cm cada, foram trabalhadas. Elas foram organizadas em módulos de 36 peças cada, ordenados em sequência.

A rocha tem espessura de 1 cm e foi colada em um suporte de vidro de mesma capacidade.

O Cristal Quartz é obtido em 3 variantes no interior do Estado da Bahia. Ele pertence aos assim chamados „(Super)Exóticos“. Essas rochas têm a dureza do granito, mas ao mesmo tempo a estrutura e cor de ônix ou mármore.

Além disso, os „Exóticos“ devem ser estabilizados com resina antes do beneficiamento e deixam-se cortar apenas com modernas serras de fio.

O Brasil é até o momento o único fornecedor mundial desse tipo de rocha. Ela existe também no outro lado do Atlântico, na África. Essa divisão é também um sinal remanescente da época em que todos os continentes do planeta estiveram unidos.

No pé da torre encontra-se o Centro de Cultura Digital.

Vídeo da inauguração

Centro de Cultura Digital Estela de Luz

Pettrus Mineração

Fotos: Pettrus Mineração