Feiras: Arquitetos e consumidores formam o público

(Abril 2013) Quem desejar contato com arquitetos e decoradores na América Latina precisa expor na Feira Expo Revestir em São Paulo. Neste ano a mostra chegou a sua 11ª edição. Mais de 48 mil profissionais de 54 países marcaram presença no evento durante seus quatro dias de realização. Dentre os mais representativos públicos estão os arquitetos e designers de interiores, que corresponderam a 42% da visitação, e compradores, com 35%. 240 empresas apresentaram seus produtos.

Entre eles, várias empresas de rochas, sobretudo do próprio Brasil. Estantes mistos, com presença de rochas e também cerâmicas, foram organizados por empresas de Itália, Portugal e Argentina.

Não surpreende: a economia brasileira vive um boom e aguarda com grande expectativa a Copa do Mundo de futebol no ano que vem e os Jogos Olímpicos de 2016.

O poder irradiador da Expo Revestir no entanto ultrapassa a esfera local: um grande número de visitantes eram compradores de países que variavam do México ao Chile. Também esses vivem, com raras exceções, fortes crescimentos econômicos.

A Anfacer, Associação dos Fabricantes de Cerâmica do Brasil, por exemplo, quer em breve abrir um show room no Panamá, conforme informou em um dos eventos da feira seu presidente, Antônio Carlos Kieling.

Outra atração para os visitantes dos setores da construção e decoração foram os programas paralelos. A palestra do arquiteto japonês Kenzo Kuma foi o ponto alto. Ele constatou um crescimento no interesse por materiais de construção naturais em todo o mundo e disse ver na composição de ambientes exteriores um campo bastante promissor para arquitetos brasileiros. Sobre isso falaremos detalhadamente em outra ocasião.

Cerca de mil pessoas prestigiaram a palestra de Kenzo Kuma. O fórum é tradicionalmente bem visitado, tanto assim que alguns dos palestrantes pagam para falar ali.

Entre os expositores, destacamos o estande da empresa Tamboré Mármores: seu tema era a floresta tropical, e ali estava representada a enorme diversidade da natureza. A ideia foi concebida pelos dois designers da P.O. Box.

A árvore gigante e maciça no centro do estande era constituída de aço Corten.

De suas hastes enferrujadas pendiam folhas de diferentes tipos de rochas, entre elas elementos arredondados, que presumivelmente simbolizavam a densa copa do vegetal, e nos quais eram vazadas outras folhas. Aquilo que, por assim dizer, caíra da copa da árvore, estava incrustado em rocha no piso.

Por fim, havia alguns assentos, esses de madeira genuína. E desde a parede atrás deles irradiava impiedoso o sol tropical através da copa de folhas.

A Tamboré Mármores tem sede em São Paulo e é conhecida por seus trabalhos incomuns com rochas ornamentais. A P.O. Box foi criada em 2011 pelas designers Sueli Garcia e Ila Rosete, também em São Paulo. Com ideias inusuais, as duas construíram uma reputação. Contribui para isso o nome da empresa, por extenso Pandora Office Box, em referência à caixa da mitologia grega, da qual emergiam surpresas em geral desagradáveis.

Expo Revestir 11.-14. Março 2014

Tamboré Mármores

P.O. Box