Arquitetura: Convite aos vizinhos e passantes

(Abril 2013) Já o detalhe na entrada revela muito sobre o morador e sua visão sobre a organização para a qual atua: o toldo sobre a porta principal é uma placa de vidro com uma cruz cristã, mas a cruz parece colocada de cabeça para baixo, de modo que sua sombra se reflita correta e simetricamente sobre a porta. Na localidade de Dražovce, perto de Nitra, na Eslováquia, o arquiteto Sebastian Nagy planejou para o padre local uma residência que em muitas coisas não reproduz a apresentação que se espera de uma habitação clerical.

De modo algum o prédio é representativo. Ele tem aspecto moderno mas modesto e dobra-se no jardim da paróquia. Ao lado disso eleva-se aos céus a torre da igreja.

As paredes externas são autóctones e duradouras: são pedras de cantaria, tal como se encontra nas antigas casas camponesas da região.

E essas paredes de modo algum separam o morador da comunidade, ao contrário: em um ponto elas descem quase ao nível do chão, como se quisessem convidar o passante a espiar por sobre o muro e trocar umas palavras com o padre.

„Otio“ é como o arquiteto e seu contratante batizaram o prédio. Atrás da palavra está a raiz latina „otium“, da qual provém os conceitos de férias ou tempo livre (ócio). A intensão é associar o lar à ideia de lugar de contemplação.

Durante a concepção do projeto, estabeleceu-se uma „estreita parceria entre os jovens arquitetos e o padre vanguardista“, informa um comunicado de imprensa sobre a construção. E mais: „O mundo progride e a igreja também. Sua antiga tradição de promover o mecenato de arte e arquitetura é aqui revisitada.“

O texto foi publicado bem antes de o novo Papa ser sequer cogitado.

Sebastian Nagy Architects

Fotos: Pat’o Safko