www.stone-ideas.com

„Sem ter que explicar do que se trata“

(Maio 2013) Muitas de suas esculturas são figuras femininas com formas marcantes: elas têm cinturas e ombros volumosos, peitos e braços magros, e nenhuma cabeça.

A escultora Renate Verbrugge, nascida na Bélgica e radicada na Nova Zelândia, irrita-se quando um observador de suas „girls“, como ela chama sua obra, vem com grandes interpretações: „Na minha modesta opinião, esculturas devem … provocar emoções e assim tocar o observador, sem com isso precisar explicar do que se trata.“

Pena. Nós adoraríamos divagar a respeito e sair com alguma frase esperta. Em vez disso, contaremos um pouco da vida dela e de sua trajetória à escultura e à Nova Zelândia.

Renate cresceu na Bélgica em uma família interessada em arte, mas tornar-se uma artista jamais foi seu objetivo. A decisão de ir para a Nova Zelândia foi tomada junto com seu marido à época, em função das crianças: „A Bélgica nos parecia muito estressante e muito superpovoada para darmos a nossos filhos de 3 e 5 anos a infância que queríamos dar a eles“.

Sem pausa, segue no seu e-mail a próxima frase: „Foi a melhor decisão de todas as que tomamos.“ Mais adiante há uma outra adição assim decisiva: Tudo o que fiz (artisticamente) eu devo agradecer à Te Kupenga Stone Sculpture Society.“

4 anos se passaram e então ela participou do Te Kupenga Symposium em New Plymouth. Ocasionalmente um dos artistas, Filipe Tohi, mostrou a ela como se trabalha com rochas. „Desde então a escultura tornou-se a paixão da minha vida“, escreve ela rememorando, „Agora eu fiz disso meu trabalho e amo cada minuto dedicado às rochas“.

O simpósio da Te Kupenga Stone Sculpture Society é organizado anualmente em janeiro. Ele tem como objetivo tornar conhecida na escultura a andesita Taranaki. A montanha de onde essa rocha provém é o Mount Taranaki, um vulcão inativo.

Como outros membros daquela comunidade artística, ela também trabalha com outras rochas. Ela prefere tipos mais duros, em especial o calcário Belgian Blue, de sua antiga pátria. Ele lhe é fornecido pela BMB, uma empresa belga de grande porte, sediada em Wortegem-Petegem.

Ao lado de „girls“, sua página na internet mostra também muitas formas geométricas, como cubos ou cubóides.

Sempre são sublinhadas em suas superfícies estruturas marcantes.

Gostaríamos de mencionar dois outros trabalhos dela: o primeiro trata-se de figuras de várias partes, que o próprio observador pode reorganizar. Em outra, há um par de botas atrás de uma ovelha: ela se refere à vida dos primeiros criadores de animais na então despovoada Nova Zelândia. Ela foi criada durante o Te Kupenga Symposium de 2012.

„A escultura foi muito bem recebida pelo público, que não conseguia segurar o sorriso ao vê-la“, conta ela, e acrescenta „Eu gosto de humor na escultura, gosto de ver as pessoas sorrirem quando interagem com meu trabalho.“

Renate Verbrugge

BMB

Te Kupenga Stone Sculpture Society