Itália mantém posição de grande exportadora

(Maio 2013) Conforme o anuário estatístico 2012 da Internazionale Marmi e Macchine (IMM), sediada em Carrara, o setor italiano de rochas ornamentais segue forte em exportações, registrando um crescimento de significativos 9,8% em valores e 4,17% em volume, no comparativo com 2011.

Também foi positiva a evolução de produtos acabados de alto valor.

Contudo, o resultado é positivo apenas para uma parte do setor italiano de rochas: ainda é preciso analisar exatamente se as exportações não estão compensando a recuo da demanda doméstica, informa o comunicado de imprensa.

No total, a Itália exportou rochas ornamentais no valor de

1.810.421.274 de Euros (~ 2,362 bilhões Dólares). Em volume foram 4.178.259 t.

E com isso O setor de rochas ornamentais italiano se aproximou novamente dos valores de exportação anteriores à crise financeira. A base da análise foram os dados do instituto estatístico italiano Istat.

Entre os tipos de rocha italianos, o mármore foi o carro-chefe: entre os produtos acabados, o crescimento das exportações foi de +17% e alcançou 815.221.000 Euros. Em volume, foram 885.119 t (+6%). O preço-médio por tonelada nessa categoria foi de 921 Euros e cresceu em +11,2%.

Sobre a totalidade das rochas tomadas na estatística, o valor médio por tonelada foi de 221 Euros (no ano anterior: 224 Euros).

Nos produtos acabados de granito houve um crescimento em valores de +3,2%, alcançando 549 milhões de Euros), contudo, houve uma redução em volume (-2,35%, com 599.000 t).

Como já acontecia antes da crise financeira, o comércio com a América do Norte foi de novo o que mais se desenvolveu: no total as exportações para os EUA e Canadá o valor foi de 337,5 milhões de Euros (+27%) com 225.193 t (+14,6%). É digno de nota o alto valor agregado aqui: o preço médio da tonelada foi de 1500 Euros (+11%).

Em contraste com isso, as vendas para a Rússia foram relativamente pequenas, alcançando bons 40 milhões de Euros (+9%) e 17.000 t (14,2%). Contudo, o valor médio por tonelada alcançou 2300 Euros!

Para a Arábia Saudita era esperado um valor médio mais alto e o registrado foi de apenas 651 Euros por tonelada. Ali parece que os comerciantes italianos ainda não acharam o caminho para a clientela de maior poder aquisitivo. Mesmo assim, a soma das exportações chegou a 112 milhões de Euros, com um crescimento de +61%!

Também com o norte da África, onde a insegurança surgida com as revoltas conhecidas como „Primavera Árabe“ provocou uma redução dos negócios com a Itália, a evolução foi positiva. Ao sul do Saara os melhores clientes foram Angola, Quênia e Congo.

E outra vez foram fracas as vendas para os países da União Europeia (-1,6%, com 472 milhões de Euros ou -4,4% em volume, com 639.000 t). Ainda assim, o valor total ainda é superior ao vendido para a América do Norte. O maior comprador foi a Alemanha (+2,6% com 168 milhões de Euros ou -1,76% em volume, com 243.000 t). As exportações para a França alcançaram 78 milhões de Euros (+10,6%) e 102.000 t (+6%).

Enquanto nas exportações a tendência geral positiva dos últimos anos teve continuidade, nas importações houve um claro decréscimo, também continuado: em mármores e granitos as matérias-primas alcançaram um valor de 393.964.783 Euros (-6%) ou 1.490.333 t em valores (-15%).

O principal fornecedor foi de novo a Índia, mesmo que com uma forte queda (valor: -18,6%, volume: -25,4%). Firmas italianas também compraram bastante de Moçambique, Tunísia e Albânia.

A IMM Carrara constatou um superávit de 1,4 bilhões de Euros no setor de rochas italiano.

Download

Tabelas: IMM Carrara

See also: