www.stone-ideas.com

Um torneio de futebol, um novo pavilhão e uma nova forma de imitar

(Maio 2013) Nós podemos garantir: a bola era redonda, cheia e de couro. Na edição deste ano da Stone Fair na cidade chinesa de Xiamen (de 6 a de 9 março de 2013) aconteceu também a „Lundhs Cup“, um torneio de futebol que reuniu profissionais do setor de rochas ornamentais do mundo todo. Os times desta vez eram da China („The Dragons“), Noruega („The Vikings“) e do Brasil („Samba“), além de uma equipe internacional, „Troy“, com jogadores da Holanda, Hong Kong e também do Brasil. Os jogos aconteceram no segundo dia de feira e uma estação de tv local inclusive os transmitiu. Na final, o time chinês derrotou (2:0) os brasileiros.

A empresa norueguesa Lundhs deu nome ao evento e também o financiou. Seu representante na China, Bill Wang, assumiu a organização com muito engajamento, reservando um campo de futebol nas proximidades dos pavilhões da feira, confeccionando camisas para os times e por fim um jantar onde se viu pouco refrigerante para 80 alegres convivas.

Desde 2012 a Lundhs Cup é organizada na Feira de Xiamen. Na ocasião havia também um time da Coréia presente. Nesta edição os noruegueses esperavam contar com „alguns de nossos amigos da Turquia, Espanha e Itália“, segundo a página da empresa na internet.

Noticiário na tv (em chinês)

Lundhs

Feira de Xiamen é o ponto de encontro com a Ásia

É possível identificar na Lundhs Cup uma confirmação de que a Stone Fair de Xiamen em seu 11º ano garantiu seu lugar de grande mostra do setor de rochas internacional. Alguns jornalistas presentes ao evento afirmam até que Xiamen é „A“ feira internacional de rochas e que a Marmomacc em Verona (Itália) tornou-se apenas uma vitrina do Ocidente ou, menos ainda, da Europa Ocidental.

Fato é que Xiamen tornou-se o centro de negócios para blocos de rocha e que lá acontecem as grandes transações asiáticas. Lembrando: o extremo oriente, ao lado de Rússia e América Latina, é o mais importante entre os mercados em expansão.

Quanto aos números, foram registrados mais uma vez fortes crescimentos. O novo pavilhão, que agora abriga os expositores estrangeiros, aumentou em 32.000 m² a área, levando com isso o total da feira para 160.000 m². Houve ampliações também nos espaços ao ar livre.

Para o ano que vem não terá novos esforços de ampliação. Segundo nos respondeu Marsha Tsai, representante da organização da feira, seu objetivo é „melhorar o número e a qualidade dos visitantes, assim como os serviços oferecidos“.

O total de visitantes neste ano foi de 130.168 (em 2012: 127.486) e o de expositores 2000 (em 2012: 1500).

É interessante registrar que o novo pavilhão foi completamente revestido com rochas ornamentais, no caso granito chinês G682, em duas superfícies distintas. É um sinal importante da atenção que a organização dá à sua Stone Fair.

Aliás, no site da feira pergunta se os expositores e visitantes desejariam que a edição de 2014 fosse ampliada para 5 dias.

Escaneamento de tipos peculiares de rochas

Neste ano a feira mostrou uma dimensão completamente nova em termos de técnica de imitar: algumas pessoas andavam com escâners e apalpavam rochas naturais com cores e estruturas peculiares para, com ajuda do aparelho, imitá-las em cerâmica. Pelo menos é o que informou a revista „Informe“ (03/2013), da Associação Brasileira de Rochas (Abirochas).

Cid Chiodi, especialista em feiras e consultor daquela associação, enxerga nisso uma forma totalmente nova de concorrência para os assim chamados „Exóticos“, que são obtidos apenas no Brasil: „Diversas rochas exóticas brasileiras já foram copiadas com uma fidelidade alarmante e são oferecidas em dimensões padronizadas de 1,20 m x 80 cm x 1,4 cm.“

„Informe 03/2013“