EU: Processo anti-dumping contra engineered stone proveniente da China

Nova fábrica de engineered stone do Grupo Cosentino para a produção do material „Dekton“. Foto: Cosentino

(Julho 2013) A A.St.A. Europe (European Association of Agglomerated Stones Manufactures) exprime a sua satisfação pelo início do processo anti-dumping pela Comissão Europeia e, sobretudo, pelo reconhecimento implícito da práticas de dumping levadas a cabo pelos produtores chineses.

No processo, têm que ser apresentados provas pelas incriminações. No fim podem ser estabelecidos taxas de anti-dumping para as importações de 11,8% no início até de 47% no máximo.

A A.St.A. considera que a maioria dos importadores de aglomerado de pedra da República Popular da China está a desenvolver políticas de dumping com o objetivo de conquistar o mercado da União Europeia e, consequentemente, eliminar todos os concorrentes europeus. Os baixos preços praticados pelos chineses, abaixo dos custos de produção, são uma indicação clara de que o objetivo não é a obtenção de lucro, mas sim a conquista do Mercado Europeu.

Para combater estas práticas de dumping, a A.St.A. solicitou a intervenção da União Europeia, de forma a garantir justas condições de mercado, uma correta estabilidade económica, e acabar com o comportamento ilícito dos importadores chineses.

O volume das importações de aglomerado de pedra da República Popular da China aumentou consideravelmente nos últimos anos. Este agressivo dumping comercial teve um impacto bastante negativo nos produtores europeus.

Os principais produtores europeus estão a utilizar atualmente apenas 50% da sua capacidade de produção. A indústria não está a sofrer apenas ao nível da produção, venda e margem económica, como também devido aos custos financeiros derivados da não exportação de todos os seus investimentos industriais.

Fonte: A.St.A. Europe

(24.07.2013)