www.stone-ideas.com

Taxa compulsória para reciclagem de móveis

A mesa „Barcode“ da empresa alemã <a href="http://www.draenert.de"target="_blank">Draenert</a> é composta de resíduos de rocha ornamental. Aqui duas variações. Não é possível ver a refinada estrutura de sustentação. Foto: Draenert

(Agosto 2013) Na França, desde 1º de maio deste ano, todos os produtores de móveis devem pagar um eco-imposto, calculado segundo o peso de cada produto. Isso inclui também tampos de cozinha e banheiro em rochas ornamentais. O imposto deve ser aplicado na captação de peças velhas e sua reciclagem. No país são descartadas anualmente 2 milhões de toneladas desses materiais velhos.

A revista especializada francesa Pierre Actual pesquisou em sua edição (6/2013) o efeito da obrigatoriedade dessa devolução para o setor de rochas.

Não foram listadas pias de rochas ornamentais. De todo modo, a lei vale para tampos de cozinha e banheiro e também para aparadores e mesas com tampos em rocha.

Duas repartições públicas recolhem o eco-imposto e organizam a reciclagem dos materiais.

A responsável por móveis de residências privadas é a Eco-Mobilier. Produtores locais e também fornecedores estrangeiros devem registrar-se em sua página na internet. De acordo com o peso do produto é regrado o valor da taxa: até 0,5 kg são 0,01 Euro, de 250 a 300 kg são 18 Euros, e acima disso 5 Euros para cada 100 kg.

A responsável por móveis de procedência comercial, por exemplo de escritórios, chama-se Valdélia e será colocada em funcionamento em breve.

O cronograma estima que em 2015 pelo menos 45% dos móveis e objetos serão reciclados, e em 2017 deverão ser 80%.

Contudo, adverte a Pierre Actual, por que o setor de rochas deveria pagar tal taxa, se tampos de cozinha dificilmente são retirados para serem substituídos por novos?

Nós contra-argumentamos com uma outra pergunta: como seria se os clientes fizessem exatamente isso? Nos referimos a uma reflexão de Andreas Kreutzer, da empresa austríaca de consultoria Kreutzer, Fischer & Partner, publicada na revista Wohninsider.at: „Imagine que quando um produto – seja de cozinha ou outra coisa – a cada dez anos seja trocado; e que fosse possível reduzir esse ritmo em apenas um ano, fazendo-se a troca após nove anos, então já teríamos 10% a mais de receita.“

Pierre Actual (em francês, download a 5 €)

Eco-Mobilier (em francês)

See also:

 

 

 

 

(23.08.2013)