www.stone-ideas.com

„Árvores“ de metal, „folhagens“ de rocha

Plaza Pormetxeta in Barakaldo.

(Janeiro 2013) Na cidade espanhola de Barakaldo „árvores“ muito particulares adornam a Plaza Pormetxeta: elas são feitas de aço e tem „folhagens“ em rochas. Com isso se impõem algumas perguntas: pra que isso? E como isso foi feito?

Nós perguntamos aos urbanistas da Xpiral Arquitectura e da MTM Arquitectos. O „pra que“ esclarecemos adiante, pois só no contexto a iniciativa é compreensível.

Através dos „galhos“ e „ramos“, em aço Corten, há redes tensionadas em arame especialmente estável, sobre as quais as rochas estão colocadas.

O „como“ é fácil: através dos „galhos“ e „ramos“, em aço Corten, há redes tensionadas em arame especialmente estável, sobre as quais as rochas estão colocadas.

E contudo elas realmente conseguem dar a impressão de uma folhagem, que projeta sobre o solo figuras sempre diferentes, de acordo com a posição solar.

E contudo elas realmente conseguem dar a impressão de uma folhagem, que projeta sobre o solo figuras sempre diferentes, de acordo com a posição solar.

Agora então o „pra que“. Toda a praça Pormetxeta é uma ladeira, ao pé da qual está o rio Nervion. Antigamente estavam instaladas naquelas margens indústrias pesadas, que depois de encerrarem suas atividades conferiram àquele entorno uma aparência triste e esquecida.

A recomposição arquitetônica do local e a revitalização da área chamaram bastante atenção e em 2013 o projeto chegou à lista final do Prêmio Mies Arch, o certame de arquitetura da União Europeia.

Primeiro, os arquitetos idealizaram caminhos subindo e descendo a ladeira, que naquele ponto têm uma diferença de altura de 20 m. Eles foram traçados de modo que a margem do rio e a cidade tenham uma ligação mais facilitada.

Primeiro, os arquitetos idealizaram caminhos subindo e descendo a ladeira, que naquele ponto têm uma diferença de altura de 20 m.

Os caminhos não foram apenas ampliados, mas também em parte cobertos com uma grade metálica clara. O objetivo era abrir espaço para acesso a lojas e escritórios e ao mesmo tempo oferecer aos cidadãos locais de convivência..

Os caminhos não foram apenas ampliados, mas também em parte cobertos com uma grade metálica clara. O objetivo era abrir espaço para acesso a lojas e escritórios e ao mesmo tempo oferecer aos cidadãos locais de convivência.

O centro para convivência é então a área com as „árvores“ de metal e rocha.

O centro para convivência é então a área com as „árvores“ de metal e rocha. A missão dos blocos de pedra bruta, na função de galhos e folhas, é contrapor, através de sua massiva presença ótica, a inclinação da ladeira. „Essas pedras pesadas sobre a estrutura metálica agem como estabilizadores horizontais; com outros materiais não conseguiríamos este efeito“, nos explicam os arquitetos.

Xpiral Arquitectura

MTM Arquitectos

Fotos: David Frutos/BISimages

(30.01.2014)