Setor de rochas italiano: força nos produtos acabados em mármore

Uma das forças do setor de rochas italiano é a coragem de oferecer soluções para além do comum: na Marmomacc 2006 a associação de empresas do Vale do Chiampo (Consorzio Marmisti Chiampo) apresentou as sedes de suas filiadas em rochas nativas.

Com um olho sorridente e o outro choroso podem ser descritos os resultados do setor de rochas italiano em 2013: por um lado foi alcançado crescimento nas exportações, e sobretudo no campo dos produtos acabados. Por outro lado, as importações de blocos de granito continuaram em queda.

Atrás disso escondem-se 2 processos gerais: de um lado a Itália conseguiu reagir às crises dos anos passados com fabricações de alta qualidade, por outro, o negócio internacional do beneficiamento de materiais brutos e toda comercialização envolvida nisso passam cada vez mais ao largo da Itália.

Segundo os dados atuais da Internationale Marmi e Macchine Carrara (IMM) a Itália alcançou em 2013 com produtos acabados um crescimento de +10,6% em valor e de +4,4% em volume. Isso somou 901,6 milhões de € e 924.425 t. As informações baseiam-se no instituto estatístico italiano Istat. A análise foi feita pelos especialistas da IMM, em comparação com o ano anterior.

Olhando todos os tipos de rocha, o país obteve um aumento de exportações de +6,73% em valor e +2,24% em volume. Isso significou 1,932 bilhão de € e 4,272 milhões de t.

A tabela mostra o desenvolvimento nas exportações de produtos acabados de mármore desde o ano 2000. Constata-se que o valor médio por tonelada de material exportado (bruto e acabado) atual foi de 580,6 €. Isso significou um crescimento de +5,5% em relação ao ano anterior. Na agregação de valor ao material, a Itália está bem acima dos concorrentes.

Importantes compradores no ano passado foram novamente os EUA (363 milhões de €, +27,5%). Com a Alemanha (150 milhões de €) foi registrada uma queda (-10,5%). Os estatísticos da IMM comentaram que os alemães parecem estar comprando mais da China – o que confirma a tendência apontada acima, de que os negócios com granito se passam ao largo da Itália.
Em terceiro lugar nas compras de produtos italianos ficou a China, com 134 milhões de € (+12,8%). Blocos e placas de ficaram aqui com a parte do leão (107 milhões de €).

As vendas para o Oriente Médio cresceram em valor em +10,3%, chegando a 255,5 milhões de €. Excepcional foi o Qatar, para onde seguiram produtos no valor de 49 milhões de €, triplicando de valor.

Do outro lado do Mediterrâneo vieram novamente demandas fortes da Tunísia e Líbia (93,5 Milhões de €, +15,5%).

A tabela mostra as importações italianas. Claramente decaíram, tal como nos anos anteriores, as compras de blocos brutos de granito.

A importação de blocos de mármore cresceu no total +5,3% em valor e permaneceram basicamente constantes em volume (+0,9%).

Ao que tudo indica, a Itália tem 2 fontes: as importações da Croácia cresceram em +47,5%, chegando a 8,6 milhões de €, e as compras da Namíbia em +37,3%, chegando a 8,2 milhões de €. Elas se equipararam assim às compras da Turquia (9 milhões de €, +5,7%).

Carrara Marmotec, 21 a 24 de maio 2014

Marmomacc Verona, 24 a 27 de setembro 2014

(07.04.2014)